Paolo Guerrero virou alvo do Boca Juniors depois que o clube argentino trocou a sua presidência, que agora tem Jorge Amor no cargo e Juan Román Riquelme como um dos vices. Aos 35 anos, o jogador do Internacional tem sido muito falado por lá. O técnico da seleção peruana, o argentino Ricardo Gareca, falou sobre a possibilidade. Mais do que isso, o técnico pareceu até fazer propaganda sobre o jogador e como ele seria bom para o Boca.

Em janeiro, Guerrero completa 36 anos e tem contrato com o Internacional até 2022, segundo informação da Zero Hora. Possui uma multa contratual estimada em US$ 4,5 milhões, que precisariam ser pagas integralmente para o rompimento do contrato. Há rumores que o Boca planeja fazer o pagamento, mas por enquanto, não passa disso. O assunto, porém, segue intenso.

Em 2019, Guerrero fez 30 partidas (24 pelo Campeonato Brasileiro, seis pela Libertadores) e marcou 14 gols (10 no Campeonato Brasileiro e quatro na Libertadores). Fez ainda duas assistências. Capitão da seleção peruana, participou de forma importante da Copa América em 2019, conduzindo sua seleção até a final, quando o Peru acabou derrotado pelo Brasil, dono da casa.

O novo técnico do Inter, o argentino Eduardo Coudet, já declarou que conta com o atacante. Só que Riquelme já tem feito o papel de tentar seduzir Guerrero a ir para o Boca e ele mesmo admitiu à imprensa argentina que falou com o peruano antes mesmo da eleição de Jorge Amor, que prometeu a contratação do atacante. Segundo Riquelme, ouviu boa disposição de Guerrero de ir para o Boca. Algo que foi corroborado pelo técnico da seleção peruana.

“Paolo tem vontade de ir para o Boca”, afirmou Ricardo Gareca em entrevista ao TyC Sports. “Para mim, é ideal para o futebol argentino. Um jogador como ele se adapta a qualquer meio. Ele é muito admirado na Argentina. Por sua forma de ser, muito aguerrido. Não teria nenhum problema em se adaptar a uma instituição como o Boca”.

O diretor de futebol do Inter, Rodrigo Caetano, respondeu ao que disse Gareca. “Ele deve se preocupar em cuidar da seleção peruana, não dos jogadores que têm contrato com o nosso clube”, respondeu o dirigente.

Guerrero já deu demonstrações de admiração pelo Campeonato Argentino. O diário Olé publicou, no dia 9, palavras do peruano sobre a Superliga. “O Campeonato Argentino atrai. É competitivo em geral e atrai qualquer jogador. Têm equipes muito competitivas”.

“Tivemos vários jogadores na liga argentina. Por exemplo, Solano, Juan Manuel Vargas, hoje está jogando Abram no Vélez, e está muito bem e se estabeleceu muito bem na equipe nacional”, continuou o atacante. “Sempre estamos em contato com o futebol argentino. Devo ter os pés no chão e não me meter em algo que não me cabe. Se querem me mencionar, bom, não vou reclamar, nem chamarei a atenção de ninguém”.

Tanto Boca quanto Inter disputam a Libertadores. Guerrero foi muito bem acolhido em Porto Alegre e rapidamente se tornou um jogador importante no Colorado.