Garçom, Neymar liderou goleada do PSG em importante passo para reparar sua imagem no clube

Brasileiro foi grande maestro do 5 a 0 sobre o Galatasaray, com assistências, gol e até gesto afetuoso com Cavani

Se de nada servia ao já classificado e líder da chave PSG, Neymar fez questão de que o confronto contra o Galatasaray lhe valesse algo, individualmente ao menos. No 5 a 0 contra os turcos, encerrando a fase de grupos da Champions League, o brasileiro fez sua melhor partida na temporada. Para além dos lances com bola rolando, o camisa 10 aproveitou bem a situação para fazer mais um reparo em sua imagem em Paris, coroando a atuação ao deixar a bola do pênalti sofrido por Mbappé para Cavani bater.

[foo_related_posts]

Apenas pela segunda vez na temporada, Neymar e Mbappé estiveram juntos no time titular. O francês, mais próximo de Icardi no ataque, enquanto o brasileiro assumiu posição mais recuada para liderar a criação de jogadas do time de Thomas Tuchel – e como liderou.

Aos 32 minutos, o brasileiro serviu um passe em profundidade para Mbappé, que cruzou para Icardi fazer 1 a 0. Três minutos depois, arrancou com a bola em velocidade a partir do campo de defesa do PSG e a levou até a intermediária, arrastando consigo a marcação. No momento certo, soltou para Sarabia, que pedalou para cima de Marcão antes de bater cruzado e ampliar para 2 a 0.

No início do segundo tempo, voltou a criar um gol para o PSG – mas desta vez apareceu ele mesmo para definir. Logo no primeiro minuto da etapa complementar, arrancou mais uma vez do campo de defesa e soltou a bola para Mbappé na ponta esquerda. Com o francês descendo em diagonal, dentro da área, passou por trás do camisa 7, recebeu o passe de calcanhar e bateu cruzado, de esquerda, para balançar a rede.

Nada estava em jogo para o PSG, e o 3 a 0 já era satisfatório, mas Neymar continuou sua noite de gala. Aos 18 minutos do segundo tempo, acertou outro brilhante passe em profundidade para Mbappé, mandando a bola em uma trajetória entre três jogadores do Galatasaray. O francês, sozinho na área, teve tempo de ajeitar o corpo antes de bater para ampliar o placar.

Com dribles, passes precisos e mantendo o papel de garçom central dos parisienses, seguiu ditando o ritmo do jogo e guardou a cena mais afetuosa para o final. Depois de pênalti em Mbappé, o brasileiro, cobrador oficial de pênaltis da equipe, pegou a bola e a colocou nas mãos de Edinson Cavani – uma correção de curso tardia, mas efetiva, em relação à briga com o uruguaio pela cobrança de pênalti que tanto arranhou sua imagem dois anos atrás. Na cobrança, o centroavante, que entrara na metade do segundo tempo, fechou a vitória em 5 a 0.

Standings provided by Sofascore LiveScore

Por mais que deixar o pênalti desta quarta para Cavani fosse a decisão mais lógica em meio ao momento que vive, de controle de danos e recondução de imagem, a atitude foi suficiente para conquistar a opinião pública francesa, da crônica aos torcedores. O gesto do brasileiro foi bastante elogiado, o que não foi lá concessão das mais difíceis aos franceses depois da atuação grandiosa do camisa 10.

Poucos atletas no mundo poderiam se recuperar de tantos danos à relação com sua própria torcida como Neymar teve com os seguidores do PSG. Para a sorte do brasileiro, ele está incluído neste limitado grupo. E o que possibilita isso são justamente desempenhos fora do comum como o desta noite de Champions League.