Diego Costa receber um gancho pesado, divulgado nesta quinta-feira. O atacante do Atlético de Madrid recebeu oito jogos de suspensão por xingar o árbitro Gil Manzano durante o jogo contra o Barcelona, no Camp Nou, no último sábado (6). É um golpe pesado no Atlético de Madrid, que perde um jogador importante para os últimos jogos da temporada na Espanha. Só que está na hora também do brasileiro naturalizado espanhol rever suas atitudes e não prejudicar o próprio time.

Podemos discutir se a punição a Diego Costa é pesada demais. É algo que não é preto no branco e vale sim o debate. Foram dados quatro jogos de punição pelo insulto (“Me cago em tu puta madre!”, disse o jogador a Gil Manzano) e outros quatro jogos por empurrar o árbitro. Com isso, a temporada do camisa 19 do Atlético de Madrid acabou, já que restam apenas sete jogos em La Liga, única competição que os Colchoneros ainda disputam. O clube irá recorrer da decisão.

Diego Costa tem um histórico negativo e é possível até que isso tenha pesado para o árbitro não ter dúvida em mostrar o cartão vermelho ao jogador. O seu tipo de jogo sempre fica no limite de uma punição por cartão e no caso do jogo contra o Barcelona, era uma situação evitável. A reclamação incessante dentro de campo é uma constante e a forma como ele falou com o árbitro levaria, no mínimo, ao juiz dar o cartão amarelo. Se ele disse o que o árbitro afirmou que ele disse, o vermelho é justificado. Os muitos jogos de suspensão são pesados, mas não são uma novidade na Espanha.

Em 2008/09, Pepe, do Real Madrid, tomou 10 jogos de gancho por agredir Javier Casquero em um duelo contra o Getafe. Dani Benítez ficou três meses suspenso em 2011/12, quando atirou uma garrafa em direção ao árbitro Clos Gómez. Em 2017, na Supercopa da Espanha, Cristiano Ronaldo tomou cinco jogos de suspensão pela expulsão no Camp Nou, quando empurrou o árbitro Burgos Bengoetxea. Na Supercopa da Espanha de 2014, Diego Simeone, no mesmo Atlético de Madrid, levou oito jogos de gancho, depois de reclamar do árbitro, aplaudir uma decisão que considerou ruim, ser expulso e não deixar o gramado – viu o jogo nas arquibancadas e empurrar o quarto árbitro. Marko Livaja, quando jogador do Las Palmas, em 2016/17, foi reclamar com o árbitro por uma expulsão e empurrou o oficial. Yuri Berchiche tomou três jogos de suspensão por encarar o árbitro Sánchez Martínez de forma agressiva.

Tudo isso mostra que a Espanha está tratando assim esse tipo de episódio. Diego Costa precisa saber se controlar. Aos 30 anos, já deu tempo de aprender que esse tipo de situação acaba sendo prejudicial a ele e ao time, especialmente. Sem Costa, o Atlético de Madrid sofreu um bocado para manter-se no jogo em que precisava vencer o Barcelona no Camp Nou.