O Grupo F da Copa Africana de Nações trazia seleções renomadas, mas esteve distante de justificar a badalação com bom futebol. Gana e Camarões avançam aos mata-matas, distantes de empolgar. Nesta rodada final, os Estrelas Negras conquistaram a sua primeira vitória, em cima de Guiné-Bissau. Jogaram melhor e mereceram o triunfo por 2 a 0, apesar de alguns riscos. Já os camaroneses, classificados por antecipação, levaram a banho-maria o duelo diante de Benin, com o segundo empate consecutivo por 0 a 0. Seguem vivos, embora apareçam abaixo de outros favoritos à taça.

Gana foi superior desde o primeiro tempo. Tinha a posse de bola e criou bem mais ocasiões de gol. Porém, tomou um susto quando Guiné-Bissau ficou a um triz de abrir o placar. Aos 17 minutos, Piqueti arriscou de longe e o goleiro Richard Ofori não conseguiu desviar totalmente a bola, que estalou o travessão. Depois disso, os ganeses responderiam de maneira contundente, atacando mais a meta adversária. Na melhor oportunidade, Jordan Ayew bateu cruzado e carimbou o pé da trave.

A vitória de Gana começou a se desenhar logo no primeiro minuto do segundo tempo. Lançado em profundidade, Jordan Ayew contou com a complacência da marcação para avançar com facilidade e bateu cruzado, anotando um bonito gol. Guiné-Bissau voltou a esbarrar na trave logo depois, com Joseph Mendes arriscando de fora da área. Ainda assim, os Estrelas Negras cresceram na etapa complementar. Chegaram ao segundo gol aos 27 minutos, graças à infiltração de Thomas Partey, completando o cruzamento de Abdul Rahman Baba. E o terceiro só não saiu na sequência porque o goleiro Jonas Mendes realizou uma defesaça diante de Jordan Ayew, em bola que ainda tocou na trave.

A vantagem foi suficiente para Gana saltar à primeira colocação do Grupo F. Terminou com os mesmos cinco pontos de Camarões, mas vantagem no número de gols marcados. Pela terceira vez na chave, uma partida terminou sem gols, durante o confronto dos Leões Indomáveis contra Benin. O embate, se pouco agradou tecnicamente, ao menos serviu para que os beninenses se aproximassem da classificação. Com três empates, ficam provisoriamente entre os melhores terceiros colocados e eliminaram o Quênia, com saldo de gols pior no Grupo C.

Atuando com vários reservas, Camarões teve mais de 70% de posse de bola e também criou as melhores ocasiões ao longo da partida. Os Leões Indomáveis ameaçaram principalmente no primeiro tempo, com direito a boas defesas do goleiro Saturnin Allagbé. Ainda assim, entre um adversário sem tantos predicados e uma equipe já garantida nos mata-matas, os camaroneses não precisaram forçar tanto. Faltava um pouco mais de capacidade no ataque, por vezes limitado aos cruzamentos. Não parecem preparados ao bicampeonato.

Os resultados já definiram o caminho das equipes. Camarões pegará a Nigéria nas oitavas de final. Benin, se não for ultrapassado pelo melhor terceiro do Grupo E, encarará o Egito. Já Gana aguarda o vice-líder do Grupo E, totalmente aberto antes da rodada final.

Ficha técnica: Gana 2×0 Guiné-Bissau

Local: Estádio de Suez
Árbitro: Eric Otogo-Castane (Gabão)
Gols: Jordan Ayew, aos 1’/2T; Thomas Partey, aos 27’/2T.
Cartões amarelos: Joseph Aidoo (Gana), Bura, Mamadu Cande (Guiné-Bissau)
Cartões vermelhos: nenhum

Gana: Richard Ofori, Andy Yiadom, Joseph Aidoo, John Boye, Abdul Rahman Baba; Samuel Kwame Owusu (Kwadwo Asamoah), Thomas Partey (Caleb Ekuban), Mubarak Wakaso, Owusu Kwabena (Afriye Acquah); André Ayew;, Jordan Ayew. Técnico: Kwesi Appiah.

Guiné-Bissau: Jonas Mendes, Nanu, Juary Soares, Marcelo Djaló, Mamadu Cande; Mama Baldé, Bura (Moreto Cassamã), Sori Mané, Piqueti (Toni Silva); Pelé; Joseph Mendes (Frédéric Mendy). Técnico: Baciro Candé.

Ficha técnica: Benin 0x0 Camarões

Local: Estádio de Ismailia
Árbitro: Sadok Selmi (Tunísia)
Gols: nenhum
Cartões amarelos: Arnaud Sutchuin Djoum, Collins Fai, André-Frank Zambo Anguissa, Ambroise Oyongo (Camarões); Steve Mounié, Seidou Barazé (Benin)
Cartões vermelhos: nenhum

Camarões: André Onana, Collins Fai (Clinton N’Jie), Michael Ngadeu-Ngadjui, Yaya Banana, Ambroise Oyongo; André Zambo Anguissa, Pierre Kunde, Arnaud Sutchuin Djoum (Olivier Boumal); Erik-Maxim Choupo-Moting; Stéphane Bahoken, Karl-Toko Ekambi (Christian Bassogog). Técnico: Clarence Seedorf.

Benin: Saturnin Allagbé, Seydou Barazé, Khaled Adénon, Olivier Verdon, Enangon Kiki; Jordan Adeofi; Jodel Dossou (Cebio Soukou), Stéphane Sessegnon, Mama Seibou, David Djigla (Mickaël Poté); Steve Mounié. Técnico: Michel Dussuyer.