Em conversas com os jornalistas Théo Azevedo (UOL Jogos), e Caio Teixeira, (Arena Turbo, do IG), uma constatação: hoje, grande parte da procura — por vezes, acima até de 50% das ocorrências — por sites focados em games é proveniente da busca pelos jogos on-line. Uma parte interessante destes aborda o esporte bretão, e é bem verdade que não possuem grandes gráficos e, em alguns casos, sejam um pouco complicados, como alguns já gostam de “atirar”. No entanto, são divertidos e capazes de entreter e até “viciar”, devido à facilidade que se tem para acessá-los, mesmo quando a internet é lenta. E a possibilidade de “matar a saudade” da temporada futebolística européia que se encerra agora acaba virando outro reforço para que esses pequenos games ganhem força.

Um dos principais sites dessa natureza é o Playforyourclub.com, da Mousebreaker, empresa especializada no ramo de jogos on-line. O site tem jogos de futebol em flash e diferentes opções de disputa, sempre relacionadas aos grandes centros da Europa. No principal modo, pode-se disputar a Liga dos Campeões e outras 16 ligas (como as quatro divisões inglesas), sendo que a cada semana, começa uma nova temporada. O interessante é os participantes variam de acordo com os resultados obtidos pelos jogadores on-line pelo clube que escolhem. Por exemplo: até o fechamento desta coluna, o “campeão” europeu é o Frankfurt (!!), e, enquanto isso, a Premier League inglesa conta com Horshan e Luton, que foram sendo promovidos pelo bom desempenho de seus “atacantes virtuais”. Pouco alternativo?

Basicamente, no game, a bola vem pela esquerda ou direita e cabe ao jogador “chegar batendo”, controlando o personagem da telinha livremente com o mouse, clicando com o botão direito para chutar. Isso não chega a ser uma regra, já que, a cada campeonato, podem-se alterar pequenas coisas no formato. Na FA Cup — que também está disponível —, por exemplo, o jogador virtual fica fixo em um ponto, e haja paciência para se acertar o arremate com precisão. Geralmente, o ideal é que se pegue na bola quando ela acaba de pingar no chão, ou à meia-altura. Em caso de gol, são as que mais podem angariar pontos (até cerca de 2.500).

De qualquer forma, em qualquer um dos modos possíveis, precisam-se marcar, pelo menos, 10 mil pontos para que o desempenho seja contabilizado. Quando se chega a 20 mil, ganha-se direito a uma cobrança de pênalti, em que se aposta parte dos pontos — o que, aliás, é um verdadeiro desafio, visto a velocidade com a qual o cursor de direção se move, para que o usuário possa acertar a mão com o mouse. No final, os resultados de todos os usuários vão se somando para que se conheçam os campeões em cada país e os representantes na Liga dos Campeões, no final da semana. Em dois dias, disputam-se as finais do torneio europeu. Nada mal poder resumir um ano em uma semaninha. Até dá para se empolgar e, literalmente, ser o 12º jogador da equipe favorita.

“El Matador”

Além do formato de ligas, há outra disputa virtual possível, sendo essa mais específica para saber quem é o melhor avançado do game: o Striker of The Month. Para acessar esse modo, basta clicar no link direto para o game, situado logo acima da relação de ligas disponíveis. Como o próprio nome já indica, é um jogo em que você escolhe dos atletas de uma das 20 equipes da Premier League (embora também haja opções das ligas escocesa, alemã e da Championship inglesa). Tal como nas competições de liga, o jogador também deve “chegar batendo”, em busca do gol, seja em um chute bem feito de direita ou um voleio curvado pela esquerda. O curioso é que os jogadores, visualmente, chegam a ser “parecidos”. Walcott, por exemplo, é bem pequeno, enquanto Crouch é enorme, magro e fica até meio tosco na imagem. É até assustador, até caricato. Os brasileiros também aparecem, com Jô (Everton) e Robinho (Manchester City) — estes se encaixam na lista dos “normais”, por assim dizer.

Ao lado do link para o game dos “artilheiros”, está o “Play COMBO Game”. Trata-se de um jogo em que você, literalmente, arma as jogadas de sua equipe, rumo aos gols. A bola começa com você no meio de campo, e uma barra de direção, com um cursor que anda de um lado para outro, em alta velocidade, indica para onde irá a redonda. A partir dessa barra, o jogador, clicando em “pass” com o mouse, deve encontrar o personagem que pede a bola — sim, só e somente AQUELE cara. A jogada continua se você acertar o passe. E dependendo de quem e de onde ele pede, o lance seguinte pode ser um cruzamento ou até um chute direto. E atenção: as bolas para os chutes são rápidas, o que torna necessária uma maior atenção e concentração por parte de que está no comando do mouse.

Esse último desafio é até curioso, mas tem algumas falhas consideráveis. Primeiramente, pelo enorme número de chances que se tem de fazer gol, e da dificuldade em concretizá-las, que acaba sendo diretamente proporcional às oportunidades. E o pior: dificilmente o computador erra um ataque, quando é a vez dele. O desafio até pode conquistar os fãs no primeiro momento, mas depois de certo tempo, torna-se irritante, e, fatalmente, o jogador desiste e volta para os mais divertidos Striker of The Month ou para as disputas nas ligas virtuais…

De fato, fica a dica: entre os três modos, opte pelos dois primeiros. São menos chatos e mais próximos de algo mais palpável. De qualquer forma, os games disponibilizados tem lá seu charme e podem ser até bem divertidos. Claro, não têm como compará-los com os jogos para consoles, até porque não é esse o intuito. Ainda assim, vale a pena conhecer, pois nem sempre se terá (ou se tem) um Nintendo Wii da vida à disposição para dar uma relaxada. Para quem se interessou, o site é o www.playforyourclub.com.

Vendagens

O Gamasutra não publicou os resultados acerca das vendas de games das últimas duas semanas. Por isso, excepcionalmente, a coluna não publica os resultados nesta ocasião.

Debate

Aos fãs da rivalidade Pro Evolution Soccer (PES) e FIFA, a opinião dos dois jornalistas especializados em games citados no primeiro parágrafo.

– Caio Teixeira: Para o editor do IG, PES já foi o melhor, mas desde 2005, tem perdido muito espaço e hoje está bem inferior ao FIFA, que segue se superando. Apesar disso, ainda considera pequenas, em muitas oportunidades, as diferenças de um para outro.

– Théo Azevedo: O jornalista da UOL, por sua vez, vota em PES (mais precisamente, a inesquecível era do Winning Eleven, como quando o jogo se notabilizou), e defende que o game da Konami não tinha muito mais o que crescer, o que permitiu ao da EA Sports se reforçar no embate. “Mas não deixo o meu Winning Eleven 7 de lado por qualquer outro”, finalizou.

Como sempre, o debate está aberto, e quem ganha com isso tudo somos nós, jogadores, que, felizmente, tendemos a ver as duas séries lutando cada vez mais pela ponta.