Ser o principal jogador de um jogo épico é algo que quem joga bola sonha, desde criança. Fernando Fumagalli escreveu um capítulo inesquecível na história do Guarani e na sua própria vida. A atuação magnífica do meia, com três gols, uma assistência e um 6 a 0 no placar que virou os 4 a 0 sofridos na vida, serão para sempre motivo de lembranças nostálgicas dos torcedores. O jogador definiu o jogo como “inesquecível” e “o melhor da minha vida”.

LEIA TAMBÉM: Com Fumagalli incendiário, o Guarani disse não ao impossível e arrancou a virada épica do ABC

“Foi inesquecível. O melhor jogo da minha vida. Foi uma semana difícil para nós e conseguimos essa virada. Começamos perdendo de quatro e tendo de mudar isso. Mas tivemos força, coragem e tive a felicidade de fazer três gols e dar um passe para outro. Estou muito feliz, assim como a torcida e todo o grupo. Estamos comemorando muito”, declarou o meia ao site da CBF.

“Antes de subir para o campo, eu disse aos meus companheiros que queria muito esse título. Que tenho 39 anos e sigo com muita vontade de ser campeão. E disse que eles, por serem mais jovens, tinham de sonhar com isso também. Isso mexeu com muita gente. O pessoal entrou em campo comendo grama, dando tudo de si e fizemos a partida que vocês viram. Acho que contribuiu muito com o que o Chamusca passou e deu tudo certo”, continuou.

Formado na base da Ferroviária em 1995, foi para o Santos ainda muito jovem e clube que defendeu até 1998. Jogou no Verdy Tokyo, do Japão, antes de jogar pelo América de Rio Preto e voltar ao Santos. A primeira passagem pelo Guarani aconteceu em 2000 e ficou até o ano seguinte. Foi para o Corinthians em 2002, mas não teve muito espaço. Passou pelo Marília e pelo Seoul (da Coreia do Sul) em 2004, Santo André e Fortaleza em 2005, Sport entre 2006 e 2009 (com um intervalo em 2007/08, quando jogou pelo Al-Rayyan, do Catar) e foi para o Vasco em 2009. Voltou ao futebol paulista em 2011 para jogar pelo Americana. Em 2012, retornou ao Guarani e viveu muito do inferno pelo clube. Agora, vive a glória.

“Sou muito grato ao Guarani. Estourei aqui para o futebol. E sempre digo que sou um iluminado no Guarani. Completei 250 jogos, se não me engano, com esses três últimos gols, me igualei ao Zenon com 81 gols e me tornei o quinto maior artilheiro do clube… Então, tudo isso é motivo de orgulho. Chegar nessa idade jogando em alto nível e em um clube enorme como o Guarani é uma honra muito grande”, disse ainda o jogador.

“Sempre fui muito profissional. Desde jovem e me dediquei muito ao futebol, que é o que eu amo. Sempre treinei para caramba, me alimentei bem, descansei o necessário… E hoje colho os frutos e consigo jogar. Não fico fora de um treino, sou um dos que mais jogou nesta temporada e pretendo jogar mais um ano. Todos querem e espero continuar aqui por mais uma temporada jogando e depois dar sequência dentro do próprio Guarani. A ideia está amadurecendo ainda, mas quero continuar no campo, como auxiliar, e vamos vendo como fica”, disse ainda Fumagalli.

O Guarani de Fumagalli começa a decisão da Série C do Campeonato Brasileiro contra o Boa Esporte no dia 29 de outubro, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, às 19h15. O Bugre está punido e terá que mandar o jogo com portões fechados. O clube garante que tentará reverter a decisão da justiça desportiva. No dia 5 de novembro, às 18h45, o jogo de volta será no Estádio Dilzon Melo, em Varginha para definir quem fica com a taça.