Copa do MundoFrança

[Galeria] 12 charges em que o Charlie Hebdo satirizou o futebol

A principal manchete nos noticiários mundiais nesta quarta é o ataque à sede do periódico Charlie Hebdo, em Paris. Doze pessoas foram assassinadas a tiros na sede do jornal satírico francês, em um ato atribuída a radicais islâmicos ofendidos por charges do profeta Maomé. A barbárie mobilizou cartunistas ao redor do mundo e leva milhares pessoas às ruas da capital, protestando a favor da publicação.

Esta não foi a primeira vez que o Charlie Hebdo sofreu um ataque. E também o histórico de conflitos com os muçulmanos não vem de hoje, com outros episódios polêmicos envolvendo a comunidade islâmica e os cartunistas. O fato é que as charges, por mais pesadas que fossem, não satirizavam apenas a religião de Maomé. Outras crenças também se tornaram alvo do jornal, assim como políticos e personalidade. E, claro, o futebol. Uma das maiores paixões dos franceses não passaria impune pelo humor da publicação.

Abaixo, reunimos 12 capas e charges do Charlie Hebdo que tem alguma relação com o futebol, traduzidas (e, em alguns casos, contextualizadas) nas legendas:

Zlatan taxado a 75%: “Sem comer, sem bater bola, um ou dois milhões, por favor!”
Zlatan taxado a 75%: “Sem comer, sem bater bola, um ou dois milhões, por favor!” – Sátira sobre os impostos planejados sobre a parcela mais rica da população da França
A Palestina tem dois problemas: seus inimigos lá (“Israel triunfará”) e seus amigos aqui (“Morte aos judeus”)
A Palestina tem dois problemas: seus inimigos lá (“Israel triunfará”) e seus amigos aqui (“Morte aos judeus”)
Cotas no futebol: “Nós queremos ainda mais putas”.
Cotas no futebol: “Nós queremos ainda mais putas”.
Galinhas de luxo, hotéis de luxo, equipe de sugadores.
Galinhas de luxo, hotéis de luxo, equipe de sugadores.
Benzema presidente, ele vai salvar a França
Benzema presidente, ele vai salvar a França – entre as medidas citadas, várias utópicas, como “salvar os pandas”
Obrigado, Domenech!
Obrigado, Domenech!
Besson (ministro da imigração durante a Copa de 2010) está contente... “E mais 11 reconduzidos para a África”
Besson (ministro da imigração durante a Copa de 2010) está contente… “E mais 11 reconduzidos para a África”
Viva o futebol! “Durante este tempo, o papai não me ferra”
Viva o futebol! “Durante este tempo, o papai não me ferra”
Copa do Mundo do antissemitismo: “A Frente Nacional (partido de extrema direita) na final”
Copa do Mundo do antissemitismo: “A Frente Nacional (partido de extrema direita) na final”
A Copa do Mundo de 2022 no Catar: “Nós já tentamos fazer a grama crescer”
A Copa do Mundo de 2022 no Catar: “Nós já tentamos fazer a grama crescer”
Quatro milhões de desempregados: “Quem se importa, nós temos o brinquedo”.
Quatro milhões de desempregados: “Quem se importa, nós temos o brinquedo”.
Cotas? “Eu recruto e eu vendo, e não existe racismo nisso”
Cotas? “Eu recruto e eu vendo, e não existe racismo nisso”

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo