FrançaLigue 1

Capitão e artilheiro, Falcao mantém o Monaco no caminho do título francês

O melhor ataque do Campeonato Francês, o Monaco, tem 88 gols em 31 jogos. Uma média de 2,8 gols por partida. Só que tem jogos que não é possível marcar tantos gols, como foi o deste sábado contra o Angers, apenas o 12º colocado na tabela. A vitória veio sofrida, 1 a 0. E veio com um jogador que tem sido muito importante na temporada: Radamel Falcao.

LEIA TAMBÉM: Balotelli fez um belo gol, e quando ele marca, o Nice não perde

Falcao, de 31 anos, teve duas temporadas muito difíceis, atuando por Manchester United e Chelsea, sempre por empréstimo. Nos dois clubes, teve muitas lesões que o impediram de ter um desempenho como esperado. A desconfiança sobre a sua capacidade de voltar ao nível que o consagrou já o rondava. Não restou muita alternativa a não ser voltar para o Monaco. E no clube do principado o jogador está sendo decisivo.

Em números, a sua temporada é ótima. São 33 jogos e 25 gols – 17 deles na Ligue 1, sendo o último deles neste sábado. Fez também cinco assistências. Mas além dos bons números, ele tem sido um líder técnico em campo, o capitão do time e levado o time a uma campanha histórica. É um jogador fundamental para o técnico Leonardo Jardim.

Na artilharia da Ligue 1, ele ainda está atrás de Edinson Cavani, que tem 27 gols (até o fechamento deste texto). Alexandre Lacazette, do Lyon, é o segundo colocado com 24. Só então vem Falcao com seus 17 gols. É o artilheiro do time que distribui muito os seus gols. Tanto que Mbappé o sétimo na lista de artilheiros com 12 gols.

Com 74 pontos, o Monaco é líder com quatro pontos de vantagem para o Nice e seis para o PSG, que ainda joga na rodada. Manterá a ponta, com sete jogos para o fim da Ligue 1. Continua caminhando em direção ao título francês que não vem desde a temporada 1999/2000, quando teve David Trezeguet no seu ataque.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo