Em agosto, Diego Forlán confirmou sua aposentadoria dos gramados. O craque uruguaio estava fora de combate fazia um tempo, desde sua obscura passagem pelo futebol de Hong Kong, e apenas anunciou o que parecia fato. Na última semana, o veterano até assegurou o próximo passo de sua trajetória, apresentado como novo treinador do Peñarol para 2020. Ainda assim, havia tempo para a última festa. Neste sábado, o atacante calçou as chuteiras mais uma vez e participou de uma grande celebração à sua história no Estádio Centenario.

Para se despedir do futebol, Forlán organizou um amistoso entre seus amigos e seus antigos companheiros de seleção. A equipe dos amigos foi dirigida por Victor Púa – que deu a primeira oportunidade a Diego na Celeste. Juan Román Riquelme, Juan Sebastián Verón, Diego Milito e Andrés D’Alessandro estavam entre as estrelas. Enquanto isso, a seleção uruguaia era obviamente dirigida por Óscar Tabárez, com a presença massiva dos jogadores que compuseram o elenco na campanha até a semifinal da Copa de 2010. Forlán foi o último a entrar em campo, ao lado dos três filhos, sem esconder a emoção diante dos aplausos da torcida.

Dono da noite, Forlán anotou seu primeiro gol logo aos 13 minutos, aproveitando um passe de Luis Suárez. O atacante jogou o primeiro tempo com o Uruguai e somou-se ao time dos amigos durante a segunda etapa, quando assinalou mais três gols. O empate por 6 a 6 pouco importou, ao final. Já o “destaque alternativo” ficou com Suárez, em função à qual está pouco acostumado: como goleiro. Durante a etapa complementar, Juan Castillo simulou uma lesão para o Pistoleiro vestir luvas e ele levou a sério sua missão. Realizou ótimas defesas e até pegou uma bomba de Forlán. Mostrou como o “milagre” contra Gana em 2010 não foi ao acaso.

Após o apito final, sob muitos fogos de artifício, Forlán saudou os quatro cantos das tribunas. “Muito obrigado às pessoas que vieram. Quero agradecer a toda a seleção, meus companheiros, os amigos que o futebol me deu e os outros que não puderam vir. Estes 21 anos de carreira foram muito mais que imaginei. Estar aqui, despedindo-me com minha família e neste estádio onde vivi tantas coisas, é uma grande emoção”, declarou Forlán. Ao 40 anos, coloca um ponto final em sua história como jogador, para começar a escrever sua trajetória à beira do campo.