Em 2009, o Corinthians chegou a ameaçar ir até a Fifa contra o Chelsea. Na época, os ingleses tentavam levar para Londres a mais nova revelação alvinegra, Lulinha. O meia ganhava R$ 30 mil mensais e tinha contrato até o fim de 2009. Acabou renovando num acordo festejado pelo clube. Prorrogou o vínculo até o fim de 2012 recebendo na primeira temporada R$ 45 mil e viu a sua multa para o exterior subir para US$ 50 milhões, aproximadamente R$ 90 milhões no período.

Passaram-se três anos desde então. E o sonho do Corinthians de fazer dinheiro com o garoto de 297 gols na base acabou não se concretizando. O contrato de Lulinha com o time se encerra no próximo mês e não será renovado. Quem confirma é o empresário do atleta, Wagner Ribeiro. “O contrato termina agora no final do ano e ele fica livre”.

Atualmente emprestado ao Bahia, o jogador de 22 anos não deverá seguir em Salvador na próxima temporada. “É difícil”, afirma Ribeiro. “Estamos pensando em alguma coisa no Brasil ou no exterior. Acredito que, em outra equipe, ele vai desenvolver todo o seu futebol”, completa.

Sensação do Sul-Americano Sub-17 de cinco anos atrás e comparado até mesmo a Romário pelo número de gols, Lulinha terminou atrapalhado em seu início de carreira por um misto de falta de sorte e também de oportunidades. É a análise que faz o seu agente. “Na base, ele era um dos melhores jogadores que já surgiram no Brasil. Bem acima de todos esses meninos que surgiram agora. Ele marcou 297 gols. O problema é que ele subiu para o time de cima do Corinthians quando o Corinthians estava caindo para a Série B. E aí não teve sequência, foi para Portugal, ficou dois anos, e agora no Bahia ele está machucado, mas hoje é titular do Bahia quando está em forma”, conclui.

Lulinha tentará recomeçar mais uma vez em 2013. Quem levará a eterna promessa alvinegra?