Kasper Schmeichel representa demais à história do Leicester City. O goleiro foi um dos protagonistas na conquista da Premier League em 2015/16 e carregou o time em vários momentos na trajetória marcante na Liga dos Campeões de 2016/17. No entanto, a última semana mostra ainda mais a importância inestimável do dinamarquês. Ele assumiu responsabilidades e se tornou o principal porta-voz das Raposas após a morte do presidente Vichai Srivaddhanaprabha. E isso mesmo encarando a dor de perder um grande amigo.

VEJA TAMBÉM: O legado de Vichai é único, porque entendeu o futebol como raros e agiu para realizar sonhos

Os primeiros relatos sobre o acidente aéreo que vitimou o dirigente também colocam Schmeichel como um dos maiores envolvidos. Segundo os relatos, ele foi um dos primeiros a ver a cena trágica e tentou ajudar no salvamento, correndo ao helicóptero em chamas, mas precisou ser contido por policiais que isolavam a área. Estava em prantos, mas permaneceu no Estádio King Power até a madrugada, para oferecer seu apoio a familiares e outros funcionários. Além disso, depois que a morte de Vichai e dos outros quatro passageiros da aeronave foi confirmada, o goleiro escreveu uma sensível carta de despedida destinada ao chefe.

“Schmeichel permaneceu no estádio até o início da manhã, compartilhando o luto com os amigos mais próximos de Vichai. Ele foi o primeiro a falar com seus companheiros, durante o treino da manhã de segunda, pedindo a eles para seguirem em frente com a visão do presidente. Por isso tudo, ele cresce ainda mais no coração dos torcedores do Leicester. Kasper era o jogador mais próximo de Vichai. Os dois passavam muito tempo juntos. Anos atrás, Vichai emprestou seu helicóptero a Schmeichel, para passar um final de semana com a família, antes que voltasse para uma ação publicitária. O presidente buscava o conselho do goleiro quando precisava tomar grandes decisões. Ele tinha grande influência sobre Vichai. Os dois conversavam sobre atuações, estilos de jogo, táticas”, relatou Rob Dorsett, repórter da Sky Sports.

O técnico Claude Puel foi outro a relatar o estado emocional do arqueiro na noite do desastre:”Kasper viveu essa situação e viu algumas coisas terríveis. Obviamente, ele está devastado, como todos os jogadores. Eu estava no meu escritório com minha família quando o acidente aconteceu. Nós não entendíamos o que aconteceu. Fiquei com a comissão técnica e passamos longos minutos sem a possibilidade de trocar palavras. Era silêncio absoluto. Depois, vi Kasper, acho que era o único jogador que permaneceu. Nós sabemos o que ele viu e compartilhamos isso. Foi muito difícil”.

Já neste sábado, no primeiro jogo do Leicester desde então, Kasper Schmeichel se tornou um dos mais focalizados pelas câmeras durante a vitória por 1 a 0 sobre o Cardiff City. Antes do apito inicial, não conteve as lágrimas durante o minuto de silêncio e ofereceu seu discurso de motivação, em meio ao abraço coletivo que reunia todos os membros do clube. E depois da partida, seguiu para afagar os companheiros, além de comandar a saudação às arquibancadas. Ele também tratou de falar com a imprensa na saída do estádio em Cardiff. Mesmo que as palavras faltassem naquele momento.

“Estamos orgulhosos. Foi realmente uma semana dura para todos. A forma como todo mundo se ajudou é uma prova da família que Vichai construiu. Estou muito orgulhoso pela maneira como jogamos, por sermos tão profissionais. Vichai teve um grande impacto na minha vida. Você pode ver na reação de todos o quanto ele impactou em tantas vidas. Estamos todos machucados, mas não podemos imaginar o que a família vem passando. Queríamos fazer isso por ele e pela família nesta noite”, declarou Schmeichel.

Logo após o jogo, o elenco do Leicester pegou um voo até a Tailândia, onde acompanharão o funeral. Segundo Schmeichel, não houve qualquer exigência para que estivessem lá e todos os jogadores se prontificaram a oferecer o tributo final: “Todos os jogadores queriam estar lá. Não havia pressão para isso, todo mundo lida com a dor de seu próprio jeito e a chance de ser parte do funeral foi oferecida a todos nós. Todo mundo aceitou. Estamos contentes por termos saído com a vitória em um jogo realmente difícil e por levarmos este triunfo à Tailândia. Esperamos que a família de Vichai tenha ficado orgulhosa com isso”. A idolatria pelo arqueiro, cada vez mais, supera as quatro linhas.