Após as vaias da torcida, uma conversinha com o presidente do clube. Pouco tempo depois do empate entre o Real Madrid e Lyon, nesta quarta, pela Liga dos Campeões, Florentino Pérez desceu aos vestiários do Santiago Bernabéu para um particular com o treinador. O papo durou dez minutos e o dirigente tratou de tranqüilizar o brasileiro.

Pérez sempre faz isso ao final das partidas, mas não é comum o presidente ter uma conversa particular com o técnico. Luxemburgo tem seu emprego garantido, pelo menos até o próximo jogo do clube, domingo, contra a Real Sociedad, fora de casa.

Um dos temas da conversa foi a substituição de Beckham. Luxemburgo se justificou ao afirmar que o jogador havia reclamado de dores nas costas e pediu para sair. A troca causou a ira da torcida, que passou a vaiar o treinador com veemência.

Tanto Beckham como Zidane saíram em defesa do treinador. “Não pedi para sair, mas o mais importante é o Real Madrid. Depois de não ganhar do Barcelona e do Lyon, é normal que a torcida se irrite. No Manchester tive um treinador em quinze anos. No Real, em três anos, já tive cinco. Isso é um problema. Na Espanha, muda-se muito de treinador”, disse o inglês.

Zidane também comentou a respeito da substituição de Beckham. “David estava machucado e Luxemburgo o trocou por isso. O público não entendeu isso. Este não é o pior momento por que passei aqui”.