Florentino Pérez ficou ainda mais próximo de retornar à presidência do Real Madrid nesta quinta-feira, quando seu último adversário declarado se retirou da campanha.

Eduardo García anunciou em seu site oficial a desistência das eleições marcadas para 14 de junho, alegando não ter conseguido as garantias bancárias de € 57,4 milhões para registrar a candidatura.

O prazo para registro de candidaturas se encerra neste domingo, e caso não haja um concorrente para Florentino, ele pode ser proclamado presidente já na segunda-feira.

Antes de García, outro candidato anunciado, o ex-vice-presidente Juan Onieva, também se retirou da corrida.

Florentino Pérez foi presidente do Real Madrid entre 2000 e 2006 e ficou marcado pela política dos “galácticos”, levando para o clube nomes como Zinedine Zidane, Luís Figo, Ronaldo e David Beckham.

Após sucessos como os títulos da Liga dos Campeões e da Copa Intercontinental, em 2002, e do Campeonato Espanhol, em 2003, o time caiu de rendimento e iniciou um jejum de títulos, que causou a renúncia de Pérez em fevereiro de 2006.

Ramón Calderón, eleito em julho do mesmo ano, assumiu o cargo e levou o clube a dois títulos nacionais consecutivos, mas foi forçado a renunciar após se envolver em um escândalo de manipulação de votos para aprovar o balanço financeiro.