Nesta segunda, o Flamengo comunicou que Jorge Jesus testou “positivo fraco ou inconclusivo” para coronavírus, no exame realizado por todos os membros do departamento de futebol rubro-negro durante a última semana. O treinador de 65 anos passará por uma contraprova, no intuito de determinar se realmente foi infectado pelo vírus. Segundo o clube, o “Mister” está sob os cuidados do departamento médico e apresenta um quadro estável de saúde.

Na última semana, o Flamengo informou que Maurício Gomes de Mattos havia testado positivo para o covid-19. Vice-presidente de embaixadas e consulados, o dirigente esteve com o elenco na viagem à partida contra o Junior de Barranquilla pela Copa Libertadores e, por isso, todos os funcionários que estiveram em contato com ele passaram por exames. Os resultados saíram nesta segunda-feira e, conforme o Fla, apenas Jorge Jesus foi apontado como positivo.

“Atletas, integrantes do departamento de futebol e comissão técnica testaram negativo para o covid-19. Vale ressaltar que o departamento de futebol seguirá as orientações do Ministério da Saúde durante a pandemia do coronavírus”, enfatizou o Flamengo, em nota oficial.

Durante reunião nesta segunda-feira, o Flamengo ainda defendia a realização do Campeonato Carioca com portões fechados, por causa dos times menores. Após o adiamento da competição, o clube anunciou que os treinamentos da equipe profissional e das categorias de base estavam suspensos. Depois, veio a notícia sobre Jorge Jesus. O Fla já tinha tomado ações preventivas desde a última sexta-feira e a sede da Gávea esteve fechada no domingo.

A primeira vítima fatal do coronavírus em Portugal é justamente um amigo de Jorge Jesus. Mário Veríssimo tinha 80 anos e trabalhou por várias temporadas como massagista do Estrela da Amadora, que o treinador dirigiu em duas passagens distintas na virada do século. No último sábado, Jesus defendeu a suspensão do Campeonato Carioca e chegou a mencionar Veríssimo como um “amigo que perdeu”, esclarecendo depois o erro na informação. O antigo colega, de qualquer maneira, estava internado em estado grave e não resistiu à doença nesta segunda.

“Nunca joguei sem torcedores e espero que seja o primeiro e último jogo. Ficamos incomodados, é prova de que não há futebol sem torcida. A outra questão é o aspecto emocional. Isto do coronavírus, testes à equipe, preocupações, o que é que a gente pode ter, as nossas famílias: é um problema grande dentro da estrutura do Flamengo. Sou português, sei o que se passa em Portugal. Eu não tinha sensibilidade sobre isso e agora comecei a perceber. Não é apenas em outros países, o Brasil também precisa agir”, afirmou Jesus, no último sábado. No dia, os rubro-negros derrotaram a Portuguesa por 2 a 1, em duelo sem a presença da torcida no Maracanã.

Em suas redes sociais, Jorge Jesus postou um vídeo falando sobre a situação: