Flamengo ainda deve futebol, mas vitória contra o Bahia foi importante para chegar ao G4

Na estreia de Everton Riberto, Flamengo vence Bahia por 1 a 0 e chega ao grupo de cima do Brasileirão

A cobrança era forte e o Flamengo conseguiu uma vitória importante. Jogando em Salvador, no estádio da Fonte Nova, o time venceu por 1 a 0 o Bahia e alcançou o G4 do Brasileirão. Pode terminar a rodada em terceiro lugar, se o Botafogo não vencer o seu jogo na segunda-feira. Foi a partida de estreia de Éverton Ribeiro, contratação de peso do time. O novo camisa 7 teve uma atuação razoável e o time comandado por Zé Ricardo não teve uma grande atuação. Venceu, porém, e isso é fundamental às pretensões do time. Se o Fla não jogou como ainda se espera, o Bahia muito menos, ainda mais depois de perder um jogador expulso de forma infantil.

LEIA TAMBÉM: Corinthians bateu Grêmio com Cássio e o surpreendente Paulo Roberto como destaques

O Flamengo atacou mais desde o começo, mas o jogo foi bastante equilibrado. O que ajudou a tornar a missão do Bahia muito difícil foi a expulsão, ainda no primeiro tempo, do zagueiro Lucas Fonseca. Ele entrou muito forte em Guerrero, e, em seguida, simulou uma agressão do peruano, que não aconteceu. A simulação foi de tal forma ridícula e forçada que o árbitro lhe deu cartão amarelo – o seu segundo e, portanto, levou ao vermelho. Deu amarelo também a Guerrero na confusão.

Com um a mais, o Flamengo passou a mandar ainda mais no jogo e ficou no campo de ataque quase o tempo todo. Só que o Bahia resistia, bravamente, dificultando a vida dos rubro-negros. Jorginho, técnico do Bahia, sacrificou o meia Vinícius para recompor o sistema defensivo com Rodrigo Becão. E mesmo com um a menos, o time da casa chegou a ter uma boa chance, aos 36 minutos, com Zé Rafael, melhor jogador do Tricolor de Aço. Ele arrancou com a bola e obrigou o goleiro Thiago a uma boa defesa.

O Flamengo ainda conseguiu uma chance um minuto depois, com Guerrero, mas Jean defendeu. Logo depois, foi a vez de Diego arriscar de fora da área, mas a bola bateu na marcação e ficou com o goleiro Jean. A torcida do Bahia, inconformada com a expulsão, fazia sinais de roubo e passou a gritar”Vergonha, vergonha, vergonha, CBF sem vergonha”. A expulsão, porém, foi justa.

Antes do fim da primeira etapa, o Bahia teve outra chance. William Arão, que fazia partida ruim, perdeu a bola no ataque e viu Edigar Junio arrancar, em velocidade, e passar para Allione. O argentino chutou para defesa do goleiro Thiago. Arão ainda teria uma chance, de cabeça, nos acréscimos, mas mandou para fora.

Depois do primeiro tempo de muitos erros, com o Bahia ameaçando mesmo com um jogador a menos, Jorginho apostou então na velocidade, a melhor forma que chegou ao ataque no primeiro tempo. Tirou Edigar Junio, que teve poucas chances, e colocou em campo Mandoza. O veloz colombiano era aposta para contra-ataques.

Como o Flamengo jogava mal, o técnico Zé Ricardo mudou o time. Tirou Matheus Savio, que fez partida ruim, e colocou Vinicius Junior, pedido pela torcida desde o meio do primeiro tempo. Os rubro-negros ficaram perto do gol quando Éverton Ribeiro levantou na área, a defesa bobeou e Guerrero, livre, tentou alcançar, mas não conseguiu.

Zé Ricardo tornou o time ainda mais ofensivo aos 19 minutos. Arão, mal na partida, deixou o gramado para a entrada do atacante Berrío. Só Márcio Araújo como volante, com Berrío pela direita, Vinícius Júnior pela esquerda, Diego e Éverton Ribeiro pelo meio. Só que o time tomou foi susto na defesa, quando Thiago deixou escapar uma bola em chute de Mendoza e quase entrou.

O gol do Flamengo veio aos 27 minutos. Éverton Ribeiro tentou o chute, errou, e deu sorte: a bola sobrou para Berrío chutar forte da direta, cruzado, marcando 1 a 0. Em seguida, aos 29, Guerrero foi lançado, disputou com Rodrigo Becão e o árbitro marcou falta. O peruano deu um toque por cima para marcar o gol, mas o tento não valeu porque o árbitro parou o jogo antes.

O técnico Jorginho acabou expulso aos 30 minutos por reclamação. Zé Ricardo, então, tentou equilibrar o time para sofrer menos. Tirou Éverton Ribeiro, que fez uma estreia razoável, e colocou em campo o volante Cuellar. Diante dos 22.271 presentes na Fonte Nova, o Flamengo administrou o jogo, com o Bahia sem conseguir fazer muito.

A atuação do Flamengo passou longe de ser boa, mas acabou sendo suficiente para vencer. Zé Rafael, o melhor do Bahia, tentou muito, teve boa atuação, mas não conseguiu levar o Bahia ao gol. A vitória, sofrida, leva o Flamengo bem para cima na tabela: o time chega a 17 pontos, assumindo a terceira colocação temporariamente – o Botafogo, com 15 pontos, pode chegar a 18 se vencer o Avaí nesta segundo e tomaria a posição do time de Zé Ricardo.

A vitória veio e o Flamengo sobe na tabela, mas será preciso jogar bem melhor do que isso para conseguir manter-se por lá. O resultado já alivia um pouco da pressão no time. São quatro vitórias nestas 10 primeiras rodadas, além de cinco empates e uma derrota. Flamengo e Palmeiras, que eram dois favoritos, chegam ao G4, mas ainda distantes do futebol que Corinthians, líder com 26 pontos, e Grêmio, segundo com 22, apresentaram até aqui.

A derrota foi muito ruim para o Bahia porque o time entrou na zona do rebaixamento. Com 10 pontos, foi superado pelo Atlético Mineiro, que venceu a Chapecoense em Chapecó por 1 a 0 e chegou a 13. O São Paulo, primeiro time fora da zona do rebaixamento, tem 11 pontos. O Vitória, rival dos tricolores, está logo abaixo do Bahia com oito pontos. Atlético Goianiense, com seis pontos, e Avaí, com cinco, estão afundados na zona do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Flamengo enfrenta o São Paulo na Ilha do Governador, enquanto o Bahia tem o clássico com o Vitória no Barradão.