Jamie Vardy não sabia o que era balançar a rede desde setembro, quando marcou o único gol do Leicester na goleada sofrida diante do Liverpool. Mas nesta terça-feira, graças à bobeada da defesa da seleção espanhola no amistoso contra a Inglaterra, o centroavante decidiu que era hora de por um fim nesse jejum que já perdurava há dois meses. E assim o fez, além de ter sido o melhor jogador inglês em campo, já que ajudou a construir o placar sofrendo o pênalti do primeiro gol e anotado o segundo tento. É uma pena que, em pleno Wembley, o setor defensivo da Inglaterra tenha dormido no ponto nos minutos finais da partida e sofrido o empate. Deixando de lado o vacilo coletivo, falemos sobre a performance de Vardy.

LEIA TAMBÉM: Jamie Vardy: o operário que virou artilheiro da Premier League

O atacante do Leicester foi um verdadeiro camisa 9 contra a Espanha. Quando o time inglês não conseguia achar nada, tentou a jogada individual que culminou na falta que sofreu de Pepe Reina dentro da área, e, depois, no pênalti convertido por Adam Lallana. Em seu gol, marcado bem no comecinho do segundo tempo, Vardy, sempre muito bem posicionado, despistou Sergio Busquets, recebeu um cruzamento de Jordan Henderson e mandou de cabeça no fundo da rede. Isso para depois comemorar fazendo o famoso ‘Mannequin Challenge’ (o desafio de imitar uma estátua) que havia ensaiado com seus companheiros de time.

.

O jogo parecia tranquilo para a Inglaterra quando Gareth Southgate resolveu colocar Marcus Rashford no lugar de Vardy. E realmente estava. O placar de 2 a 0 só começou a ser ameaçado nos dez minutos finais, quando a Espanha começou a fazer valer a posse de bola que teve ao longo de todo o jogo para pressionar os ingleses. Tamanha foi a pressão que a Furia conseguiu arrancar o empate no último minuto da partida, já nos acréscimos. Primeiro, Iago Aspas diminuiu a vantagem inglesa anotando seu primeiro gol com a camisa espanhola em seu primeiro jogo pela seleção. Depois, Isco fez como Vardy e aproveitou a lentidão da defesa adversária para matar no peito e chutar cruzado, deixando tudo igual em Londres.

O saldo da partida não pode ter sido bom para a seleção inglesa, ainda que tenha sido em um amistoso. Para o camisa 9, porém, pode ter sido, sim. Com o fim do jejum de gols, Vardy recupera a confiança e motivação que todo e qualquer jogador perdem com um longo período sem marcar. Normal. E, com isso, volta da data Fifa motivado a ajudar o Leicester a sair da draga em que o time está inserido nestas primeiras rodadas da Premier League. Quer dizer, mais de 1/4 do campeonato já se foi. É importante ver por essa óptica, porque o tempo está passando e os Foxes precisam da capacidade de fazer gols que o atacante mostrou ter ao longo da última temporada.

.

.

.