Sem sustos, o Paris Saint-Germain está mais uma vez na final da Copa da França, depois de vencer o Nantes por 3 a 0, com gols de Marco Verratti, Kylian Mbappé e Daniel Alves. O abismo técnico entre o PSG e as demais equipes francesas cria uma era dourada ao clube em âmbito doméstico, mas evidencia a falta de um desafio que eleve a equipe ao próximo nível.

Contra o Nantes, equipe que não vence o PSG desde 2006, a partida foi protocolar. O time do técnico bósnio Vahid Halilhodzic se fechou ao máximo na esperança de encontrar um gol, enquanto a equipe da capital trocava passes sabendo que em algum momento um espaço apareceria. Os canários, com cinco brasileiros em campo, conseguiram se defender por 29 minutos e estavam bem posicionados quando Mbappé acelerou o jogo e tocou para Verratti, mas nada puderam fazer para evitar o chute preciso do volante.

A abertura do placar não alterou a proposta passiva do Nantes, que quase não teve a bola no primeiro tempo e permaneceu assim por uma boa parte do segundo. Aos 18 minutos, em um dos ataques do PSG, a bola acabou batendo no braço de Nicolas Pallois, dentro da área. Foi preciso a intervenção do árbitro de vídeo para que o pênalti fosse marcado. Mbappé acertou a cobrança, mas o árbitro François Letexier alegou invasão e mandou voltar. Na segunda batida, Mbappé chutou no canto direito e Ciprian Tatarusanu pulou certo e fez grande defesa. O pênalti perdido pelo PSG animou o time do Nantes, que foi tentando se soltar, afinal, precisava marcar. Mas apenas cinco minutos depois, em uma bola dividida no meio de campo, Kalifa Coulibaly levantou o pé e deu uma solada em Thiago Silva. Já amarelado, o malinês foi expulso com o segundo amarelo e praticamente selou o destino da sua equipe.

Aos 40, nova penalidade máxima em favor do PSG, dessa vez convertida por Mbappé, e ainda deu tempo de Daniel Alves, vindo do banco, marcar um bonito gol nos acréscimos, decretando mais uma classificação para a final da Copa da França, a quinta consecutiva, sendo que nas últimas quatro, o PSG saiu com o troféu. A equipe parisiense não sabe o que é perder na competição desde janeiro de 2014. A falta de concorrência também acontece na Copa da Liga, em que o PSG venceu cinco edições consecutivas antes de ser eliminado nesta temporada pelo Guingamp, e na Ligue 1, conquistada de braçada em cinco das últimas seis edições, algo que fatalmente se repetirá ao fim desta temporada. É um momento histórico para o clube, que, no entanto, faz com que o PSG não seja colocado de fato à prova antes dos grandes jogos, sendo um empecilho difícil de contornar na busca pelo tão sonhado título europeu.