A disputa sobre o pagamento pela transferência do atacante Emiliano Sala do Nantes para o Cardiff segue ativa. Morto em um acidente aéreo no dia 22 de janeiro, o atacante argentino de 28 anos acabou nunca efetivamente jogando pelo clube galês, que disputava a Premier League. Em abril, o Cardiff alegou que a transferência não se consumou e o Nantes notificou a Fifa. Por isso, a entidade que dirige o futebol mundial determinou que o clube galês pague a primeira parcela.

A alegação do Cardiff era que não deveria ser responsável pelo pagamento dos € 17 milhões porque Sala ainda não era efetivamente jogador do clube quando morreu. Os galeses se recusaram a fazer pagamentos interinamente, alegando, assim, que o contrato não era juridicamente válido no momento do acidente. O primeiro pagamento já deveria ter sido feito e o segundo está programado para janeiro de 2020, segundo a BBC.

“O Cardiff City FC deve pagar ao FC Nantes a soma de € 6 milhões, correspondente à primeira parcela do acordo pela transferência concluída entre as partes no dia 19 de janeiro de 2019 pela transferência de Emiliano Sala do FC Nantes para o Cardiff City FC”, diz comunicado da Fifa.

“A quantia de € 6 milhões corresponde à primeira parcela de acordo com o contrato. Por razões de confidencialidade, nós não podemos comentar neste momento em potenciais futuras parcelas ou outras condições do acordo de transferência”, continua o comunicado da entidade máxima do futebol.

“O Comitê de Status dos Jogadores da Fifa, que nunca perdeu de vista das circunstâncias específicas e únicas desta trágica situação durante suas deliberações na questão em disputa, de forma a não impor custos processuais às partes”, continua nota da Fifa. “Dentro do prazo de 10 dias, Nantes e Cardiff podem requisitar uma cópia das bases da decisão, que pode ter um recurso no Tribunal Arbitral do Esporte em Lausanne”.

O Nantes divulgou comunicado, assinado pelos seus advogados, Jerome Marsaudon e Louis-Marie Absil. “Nós ficamos satisfeitos pela decisão da Fifa. O Cardiff deve respeitar os compromissos e regras do direito desportivo”, diz a nota. “Além da tragédia humana que afetou toda a comunidade esportiva com a morte de Emiliano Sala, a Fifa apenas lembrou que a segurança legal do compromisso feito pelos clubes no contexto de transferências de jogadores deve ser respeitada”.

“Não é uma surpresa, isso confirma a posição que o FC Nantes tem nos últimos nove meses: Emiliano Sala assinou com o Cardiff; seu contrato com o Nantes foi encerrado; o Certificado Internacional de Transferência, entregue pela Fifa, diz que no dia do acidente Emiliano era de fato jogador do Cardiff”, explica ainda a nota do clube francês.

A alegação do Cardiff, porém, é que a transferência é nula e vazia, porque a Premier League rejeitou algumas cláusulas requisitadas pelo Nantes no contrato original e que Sala nunca teve a chance de revisar e assinar a versão final. Isso significa, na visão do clube galês, que ele não foi registrado como jogador do Cardiff na Premier League. Só que a Fifa não aceitou esta versão.

O Cardiff também se pronunciou sobre o assunto e deixou claro que não desistirá das suas alegações. “O Cardiff City FC reconhece a decisão anunciada hoje pelo Comitê de Status do Jogador da Fifa a respeito da transferência de Emiliano Sala. Nós iremos buscar mais esclarecimentos da Fifa no exato significado do comunicado de forma a tomar uma decisão informada nos nossos próximos passos”, diz o texto divulgado pelo clube galês.

O Cardiff foi rebaixado à segunda divisão inglesa na temporada passada, o que implica um grande impacto financeiro para o clube. O não pagamento da primeira parcela, programada para semanas depois da transferência, levou os dois clubes a entrarem uma disputa sobre a questão.