Fifa bloqueará ideia de jogo de La Liga nos Estados Unidos, segundo Federação Espanhola

Jogo entre Girona e Barcelona seria jogado em Miami, mas nem a Federação Espanhola nem a Fifa são favoráveis à ideia

A Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) afirmou ao ESPN FC, dos Estados Unidos, que a Fifa irá apoiar a decisão de bloquear um jogo do Campeonato Espanhol nos Estados Unidos nesta temporada, como pretendia a LFP (Liga de Fútbol Profesional, que administra La Liga). O pedido para a mudança do jogo veio de La Liga para a RFEF, que negou. O jogo será realizado em janeiro, com o mando do Girona contra o Barcelona sendo transferido para os Estados Unidos, atuando em Miami.

LEIA TAMBÉM: Em 2005, Pochettino e Messi quase foram companheiros de clube… No Espanyol

A RFEF respondeu ao pedido de La Liga dizendo que iria vetar a proposta. Javier Tebas, presidente de La Liga, disse que estava trabalhando com a RFEF e o sindicato de jogadores para finalizar os planos de conseguir os apoios necessários. Os jogadores já se mostraram contrários à ideia e ameaçaram inclusive entrar em greve se a ideia for adiante.

Consultado pelo ESPN FC, site de futebol da ESPN dos Estados Unidos, a RFEF respondeu dizendo que repassou a questão à Fifa e que a entidade máxima do futebol mundial iria apoiar a decisão de vetar a iniciativa. “A RFEF já respondeu a carta de La Liga, eles sabem que o jogo não poderá ser jogado”, diz o documento recebido pelo site. “A RFEF colocou tudo nas mãos da Fifa, que irá apoiar o ‘não’ da RFEF. A resposta de todos é não”.

A ideia do jogo nos Estados Unidos é fruto de um contrato de marketing com a Relevant Sports, de 15 anos, para promover o esporte na América do Norte. A AFE (associação dos jogadores) disse que a decisão foi tomada de forma unilateral pela liga e que viola diversos artigos do acordo coletivo entre os dois grupos.

O jogo parece cada vez mais difícil de acontecer. La Liga precisa precisa do apoio da RFEF, assim como o Conselho Espanhol de Esportes, Uefa, Concacaf e a US Soccer para mudar o jogo de Girona para os Estados Unidos. E esses apoios todos parecem complicados de conseguir, especialmente porque a RFEF é contra.

“Nenhuma dessas instituições quer isso”, afirmou carta da RFEF. “Neste momento, La Liga não requisitou uma reunião. Tebas publicamente disse que requisitou uma reunião com Rubiales [presidente da RFEF] e depois teve que publicamente se desculpar, alegando que foi uma confusão”.

A RFEF escreveu para a Uefa e a Fifa em setembro para explicar a sua intenção em levar o jogo para os Estados Unidos. A Fifa já expressou preocupações e restrições quanto a esse tipo de iniciativa, o que se mostra que a ideia não deve mesmo vingar. Gianni Infantino, presidente da Fifa, deixou a entender que a entidade não concordava com a ideia. “Eu prefiro ver um jogo da MLS nos Estados Unidos que um jogo de La Liga nos Estados Unidos”, afirmou Infantino, ainda em setembro. “No futebol, o princípio geral é que você jogue a partida como mandante em casa, não em um país estrangeiro”.

Ao menos nesse aspecto, a Fifa parece que dará alguma racionalidade a uma ideia que parece uma loucura de La Liga. Uma loucura que, aparentemente, não será levada adiante.