O comitê executivo da Fifa aprovou nesta segunda-feira, por unanimidade, o fim do rodízio de continentes entre as sedes da Copa do Mundo. A partir do Mundial de 2018, todos os países de confederações que não tiverem recibido uma das duas últimas edições poderão se candidatar. Na prática, cada continente poderá receber Copas em um espaço de doze anos.

O fato de o Brasil ser candidato único a sede da Copa de 2014, destinada à América do Sul, aumentou as questões sobre o sistema de rodízio. A África do Sul, que receberá o Mundial de 2010, foi o primeiro país a se beneficiar da política adotada pela Fifa. A maior oposição ao fim do rodízio era da Concacaf, que a princípio deveria receber o torneio em 2018.

A decisão da Fifa abre as portas para diversas candidaturas européias, como a da Inglaterra e a possível proposta conjunta do Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo). A Austrália, que no ano passado se filiou à Confederação Asiática, também discute uma eventual candidatura.