A partida valia apenas uma vaga na próxima Copa das Confederações, mas teve clima de Copa do Mundo. Em Pasadena, na Califórnia, os Estados Unidos receberam o México (ou foi ao contrário?) para um jogo único que valia vaga no torneio que será realizado na Rússia, em 2017. Os americanos foram buscar o empate duas vezes, tanto no tempo normal, quanto na prorrogação, até que um golaço de Paul Aguilar no penúltimo minuto da prorrogação deu a vitória para os mexicanos.

LEIA MAIS: Capitão dos EUA fala sobre o tamanho da rivalidade com o México: “Paixão, ódio”

O estádio Rose Bowl esteve recheado com 93 mil pessoas e refletiu a crescente rivalidade que foi alimentada durante a semana. Nas arquibancadas da Califórnia, com uma grande colônia de mexicanos, a aparente maioria de torcedores era do time visitante, e todos eles vibraram muito logo aos 10 minutos, quando uma bonita jogada individual do ataque do México, com ótima movimentação dos jogadores e um esperto passe de Peralta, deixou Jiménez livre para rolar para Javier Hernández, que teve apenas o trabalho de empurrar às redes.

A torcida do México no Rose Bowl (Foto: AP)
A torcida do México no Rose Bowl (Foto: AP)

Cinco minutos depois, Michael Bradley cruzou na área, em cobrança de falta, e Geoff Cameron completou de cabeça, um gol suficiente para levar a partida para a muito movimentada prorrogação. Nela, Peralta voltou a colocar o México na frente, novamente aproveitando falhas de marcação no lado esquerdo da defesa dos Estados Unidos. Um lançamento permitiu que o atacante marcasse sem grandes problemas. Em bola enfiada nas costas da zaga, Bobby Wood empatou.

O grande clímax da partida aconteceu quando todos já estavam aguardando o apito final. O México teve uma cobrança de falta, e como é comum nos lances finais, tratou de jogar a bola na área. Rebote para cá, rebote para lá, um chutão para o alto, e Paul Aguilar apareceu livre pela direita da grande área e emendou a bola que caiu do céu com a velocidade de um cometa em um chute cruzado que decidiu a partida e levou todos os mexicanos à loucura.

Com a vitória por 3 a 2, o México de Ricardo Ferretti está classificado para a Copa das Confederações da Rússia e aguarda o início do trabalho de Juan Carlos Osório, que já tem duas partidas de Eliminatórias da Copa do Mundo na próxima data Fifa. Enquanto isso, a pressão cresce sobre Jürgen Klinsmann. Depois das oitavas de final do Mundial brasileiro, os EUA caíram nas semifinais da Copa Ouro, quando o esperado era o título.