Fernandão teve uma rápida passagem pelo Bahia, mas suficiente para deixar marcas profundas na torcida tricolor. O centroavante carregou o time em boa parte do Campeonato Brasileiro de 2013. Acumulando gols e decidindo partidas importantes, ajudou o clube a se manter na primeira divisão e a se classificar para a Copa Sul-Americana. Além do mais, a boa sequência o projetou rumo ao exterior. Foi artilheiro no Bursaspor, virou referência no Fenerbahçe e, na última temporada, ganhou a chance de encher os bolsos com a transferência para o Al Wehda. Seis meses depois, o veterano deixa a Arábia Saudita e volta ao Brasil. Volta a Salvador, onde teve uma recepção grandiosa dos torcedores baianos. A esperança de outro bom ano ao Tricolor.

O retorno de Fernandão ao país foi motivado por um drama pessoal. A esposa do atacante perdeu sua filha já no final da gravidez e a família optou por se mudar novamente ao Brasil. E o atacante, que nunca escondeu o carinho pelo Bahia, onde viveu seu melhor momento no futebol nacional, acertou sua vinda ao Tricolor. Aos 31 anos, o artilheiro assinou seu contrato até o final de 2020. O negócio custará R$4,5 milhões aos cofres do clube, em pagamento dividido ao longo dos dois próximos anos. Para concluir a transação, um dos patrocinadores do time oferecerá parte do aporte financeiro.

O desempenho de Fernandão no Al Wehda era modesto, com apenas dois gols anotados em 14 partidas pelo Campeonato Saudita. No entanto, dá para dizer que o centroavante aprimorou ainda mais o seu faro de gols durante a passagem pela Turquia. Juntando os períodos com o Bursaspor e com o Fenerbahçe, acumulou 58 gols em 111 partidas com os clubes – e isso porque muitas vezes entrava no segundo tempo com os Canários. Pelo sucesso que fez no país, não seria surpreendente que conseguisse um novo contrato se quisesse retornar, mesmo em um time menor. Preferiu o calor da Fonte Nova.

E a empolgação dos torcedores do Bahia ficou bem clara durante o desembarque de Fernandão em Salvador. Uma multidão lotou o aeroporto e tomou os diferentes pavimentos para festejar o centroavante. O reforço chegou mesmo a subir em um ônibus para comandar a loucura. “A emoção é muito grande. Estou ansioso demais para poder voltar a Salvador e sentir o carinho de todos. O coração está a mil, está acelerado”, declarou, durante a chegada. “Sempre quis voltar ao Bahia. Tive outras oportunidades, mas não deu certo. Os últimos acontecimentos acabaram reforçando a minha vontade e da minha família em permanecer no Bahia. A primeira coisa que fiz foi entrar em contato com o clube e fico feliz em ver o interesse”.

Fernandão talvez não seja titular absoluto do Bahia, apesar de todo o furor. O clube também conta com Gilberto, que se saiu bem no último Brasileirão e anotou gols importantes. É difícil imaginar que Enderson Moreira utilizará os dois centroavantes juntos. De qualquer maneira, será válido contar com um elenco recheado para encarar as diferentes disputas ao longo da temporada. Além do Campeonato Baiano e da Copa do Nordeste, em fevereiro o Tricolor já fará as suas estreias na Copa Sul-Americana e na Copa do Brasil.

De maneira geral, 2018 foi um bom ano ao Bahia. O time fez uma campanha satisfatória no Brasileirão, conquistou o Campeonato Baiano, chegou à final do Nordestão, ficou entre os oito melhores na Copa do Brasil e também na Sul-Americana – com o gosto de que poderia ter ido além nesta última. Faz um trabalho consistente e, nesta temporada, se reforça para dar um passo além. Apesar da perda de jogadores úteis, sobretudo Zé Rafael, já são dez novidades na janela de transferências. Fernandão é a mais representativa. Pela empolgação dos torcedores, dá para notar como as expectativas estão altas neste 2019.