Alex Ferguson se posicionou ao lado do árbitro Mark Clattenburg diante das acusações de racismo feitas pelo Chelsea. Alguns jogadores dos Blues, entre eles Obi Mikel, acusaram o juiz de ter utilizado palavras discriminatórias durante a partida contra o Manchester United, no último domingo. Clattenburg é investigado pelo caso.

“Eu não acredito que Mark Clattenburg iria fazer qualquer comentário como esse. Recuso-me a acreditar. Isso é impensável no clima moderno. Não há como um árbitro fazer isso ou se inclinar para isso. Tudo mudou nos últimos 25 anos. Fui jogador e sei que o tratamento entre árbitros e jogadores é completamente diferente hoje. Nunca um jogador meu fez uma reclamação do tipo nos últimos 15 anos”, afirmou.

Já Roberto Di Matteo, técnico do Chelsea, minimizou a declaração do escocês: “Eu penso que a investigação irá esclarecer o caso, por isso não posso comentar. Ferguson gosta de comentar sobre os outros times, mas nós não. As pessoas são livres para falar nesse país e vamos levar em consideração o que as outras pessoas dizem e usar isso como uma ferramenta motivacional”.

Uma das hipóteses levantadas pela imprensa inglesa é que, por conta do sotaque do árbitro, os jogadores teriam confundido “Mikel” e “monkey” (macaco). Além das palavras usadas por Clattenburg, Di Matteo também reclamou de suas decisões. O Chelsea teve dois jogadores expulsos na partida e o gol da vitória do United por 3 a 2 foi marcado de maneira irregular por Chicharito Hernández. Os Blues lideram a Premier League, um ponto à frente dos Red Devils.