Alex Ferguson resolveu nesta quinta quebrar o silêncio em torno da polêmica saída de Ruud van Nistelrooy do Manchester United. O atacante alegou problemas pessoais com o treinador como principal motivo de sua saída do clube inglês. O técnico preferiu seguir uma linha mais diplomática, para evitar novos atritos com o ex-jogador dos Red Devils.

“O mais difícil com os jogadores de hoje é a satisfação que temos que lhes dar, e parte disto está na escalação do time. Quando a Uefa decidiu ampliar os elencos das equipes para suas competições, tornou-se a parte mais difícil do trabalho do treinador. Quando se escala uma equipe, há sempre dois ou três jogadores com os quais há uma hesitação”, comentou Ferguson durante uma entrevista coletiva.

O atacante ficou descontente por ter ficado no banco de reservas no final da temporada, tendo perdido seu lugar para Louis Saha. Van Nistelrooy falou para Ferguson, já durante a pré-temporada do clube na África do Sul, que queria deixar a equipe. “Como foram grandes jogadores para você no passado, cria-se uma certa relação com eles. Espera-se apenas que eles não reclamem pelas razões de os técnicos os deixarem de fora do time. Às vezes, eles não ficam felizes e não tenho problemas quanto a isso. A maneira como eles se adaptam a isso é que é importante, Van Nistelrooy foi diferente neste sentido. Foi o que aconteceu exatamente”, explicou o treinador.

Após uma longa negociação, Van Nistelrooy foi contratado pelo Real Madrid. Na semana passada, quando se apresentou oficialmente em seu novo clube, o atacante criticou seu ex-treinador. Ele afirmou que Ferguson “foi o principal motivo pelo qual desejava sair do Manchester United”. O time espanhol pagou cerca de chr(128) 15 milhões pelo holandês, que assinou contrato por três temporadas.