Em seu caminho rumo ao terceiro título de Champions League de sua história, o Manchester United despachou o Barcelona nas semifinais da temporada 2007/08. A grande história daquele embate duro, de apenas um gol nos dois confrontos, foi a pintura de Paul Scholes no jogo de volta, mas uma história paralela corria nos bastidores: o Barça tentava contratar Rio Ferdinand, e o então técnico do conjunto blaugrana, Frank Rijkaard, chegou a abordar o ex-zagueiro nos corredores do Camp Nou.

A história foi revelada pelo próprio Ferdinand à BT Sport. O ex-jogador já havia feito menção ao episódio nas últimas semanas em debate com Paul Merson, que dizia que nenhum atleta poderia recusar Barcelona ou Real Madrid, falando sobre uma possível saída de Raheem Sterling do Manchester City. Ferdinand disse que era possível e que ele mesmo tinha feito isso, mas não havia entrado em detalhes. Bom, pelo menos até agora.

“O Barcelona tinha entrado em contato. Falei com o Rijkaard, não sobre ir para lá, mas ele meio que deixou clara a sua intenção. Foi depois do jogo em Barcelona, em que empatamos em 0 a 0. Foi no túnel, depois do jogo, que eu falei com o Rijkaard”, relembrou Ferdinand. Segundo ele, “chegou perto, houve conversas com o meu empresário”.

À BT Sport, o ex-zagueiro reconheceu que tinha, sim, vontade de atuar fora da Inglaterra, mas já havia encontrado no United tudo o que buscava.

“Sempre disse que eu queria jogar no exterior, mas a única coisa que me impediria de fazer isso é se eu estivesse vencendo e tendo sucesso em casa. Tive sorte de encontrar no Manchester United um grande clube, era quase impossível eu sair.”

Outro motivo pelo qual Ferdinand decidiu permanecer no United foi porque todos os clubes que o procuraram, o Barcelona entre eles, estavam em momento de transição na visão do ex-jogador.

“Houve ligações para eu ir para vários clubes. Quando elas foram feitas, esses clubes estavam em transição, e não fazia sentido ir para um lugar em que talvez levasse dois ou três anos para eu ganhar títulos”, recordou.

O Barcelona mesmo estava prestes a trocar seu comando técnico, indo de Rijkaard para Pep Guardiola. Se tivesse comprado a aposta, Ferdinand poderia ter participado do estrelado time que se formaria nos anos seguintes, mas este não era exatamente o cenário que ele via na época em que foi abordado.

“Nós os derrotamos e depois vencemos a Champions, então por que eu iria querer deixar o United para ir para outro time? Naquele momento, Xavi, Iniesta e Messi estavam apenas começando a aparecer, não eram jogadores que se tornaram três ou quatro anos depois. Era um cenário muito diferente na época, mas era um grande clube.”

Como bem sabemos, Ferdinand não deixou o clube de Old Trafford. Seguiu defendendo as cores do time até 2014, antes de uma temporada final em sua carreira pelo Queens Park Rangers, em 2014/15.