Ferdinand acusa Fifa de 'fraqueza' contra racismo

Rio Ferdinand criticou a postura adotada pela Fifa para combater o racismo no futebol. Nesta quarta-feira, o defensor do Manchester United e da seleção inglesa acusou a entidade de ser ‘fraca’.

“A Fifa comenta sobre o que fará, mas nunca coloca suas ações em prática. As autoridades do futebol precisam olhar para si mesmos”, afirmou o jogador, em entrevista concedida à rede britânica BBC.

Ferdinand citou como exemplo o incidente ocorrido no jogo entre Inglaterra e Croácia, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo-2010. Durante o duelo, em Zagreb, torcedores ofenderam o atacante Emile Heskey com insultos racistas. A federação croata recebeu uma multa de US$ 27,7 mil.

“A Croácia teve que pagar uma multa. O que vão conseguir com isso? Isto não vai fazer com que as pessoas deixem de gritar insultos racistas ou homofóbicos. Joseph Blatter [presidente da Fifa] gosta de falar sobre coisas que são boas para a imagem da Fifa, mas gostaria de vê-los se levantar e estabelecer as punições certas para estes incidentes. Caso coisas como essas se repitam, é preciso tirar pontos. Então, perceberão que o time será punido”, disse Ferdinand.

O jogador citou outro caso para explicar seu ponto de vista. Sol Campbell, defensor do Portsmouth, teria sido insultado por torcedores do Tottenham. “As câmeras de segurança deveriam identificar as pessoas que fazem esse tipo de coisa e expulsá-las do estádio. É a única maneira que vejo para que isto deixe de acontecer”, completou.