Se você acompanha futebol desde o ano 2000, deve se lembrar do atacante Eidur Gudjohnsen, islandês que passou por vários clubes importantes do futebol europeu, os principais deles Chelsea e Barcelona. Mas entre 1998 e 2000, ele foi jogador do Bolton. Agora, aos 36 anos, o jogador está perto de assinar contrato novamente com o clube, depois de ser liberado pelo seu último time, o Club Brugge.

CAMPEÃO: Lembra do time islandês das comemorações criativas? Ele foi campeão, e em um épico gigante
SELEÇÃO: Gudjohnsen se aposenta da seleção, mas não fará falta à Islândia

“Se houver algum impedimento, será alguma coisa pequena e eu espero tê-lo no elenco para o fim de semana”, declarou o técnico Neil Lennon à rádio BBC de Manchester. “Eu acho que ele será um jogador de jogos grandes e vai aproveitar a ocasião. Levará um pouco de tempo para se adaptar à Championship [a segunda divisão inglesa] e a qualidade do jogador que ele está acostumado a jogar junto. Nós precisamos desse tipo de jogador e com Mark Davies fora e Chung Yong-Lee não deve estar aqui [deve jogar a Copa da Ásia pela Coreia do Sul em janeiro]”, declarou o jogador.

Depois de deixar o Bolton para ir ao Chelsea em 2000, ficou seis anos no clube londrino. Em 2006, foi para o Barcelona e chegou a jogar o Mundial de Clubes, em 2009. Foi a sua última temporada pelo clube, antes de assinar pelo Monaco. Desde então, tem passado por vários clubes: Tottenham, Stoke City, Fulham, AEK, Cercle Brugge e Club Brugge,na última temporada. Além disso, ele foi uma figura importante da seleção da Islândia que brigou por vaga na Copa do Mundo até a repescagem – acabou derrotada pela Croácia, que veio ao Brasil.

Heskey também pode voltar
Heskey com a camisa da seleção inglesa (AP Photo/Sang Tan)
Heskey com a camisa da seleção inglesa (AP Photo/Sang Tan)

Quem também pode assinar com o clube é o atacante Emile Heskey, que tem 36 anos, assim como Gudjohnsen. O atacante está treinando com o clube desde o fim de novembro, depois que seu contrato com o Newcastle Jets terminou. Com passagens por Leicester City, Liverpool, Birmingham, Wigan e Aston Villa, o jogador também jogou pela seleção inglesa e esteve nas Copas de 2002 e 2010.

“Emile é um jogador sem contrato e eu o conheço muito bem do meu tempo no Leicester – outro jogador que eu tentei contratar quando eu estava no Celtic”, declarou o técnico. “Ele pode estar chegando ao fim da carreira, mas ele ainda tem bons atributos. Nós vamos analisá-lo nas próximas duas semanas e ver se ele terá algo a oferecer”, disse.

Parece que entramos em uma máquina do tempo. Ver uma dupla de ataque com Heskey e Gujohnsen parecia uma coisa do Winning Eleven do começo dos anos 2000. Não é mais. E pode acontecer em breve na segundona inglesa.