A transferência de Felipe Anderson ao West Ham era daquelas que se sugerem vantajosas a todas as partes. O brasileiro teve os seus problemas internos na Lazio, mas havia aparado as arestas e terminou a temporada em alta. Embora fosse importante aos biancocelesti, liderando a equipe em boas campanhas na Serie A, não se negaria a oferta de €38 milhões. Enquanto isso, o meia poderia se provar em uma liga mais forte, vestindo a camisa de um clube tradicional e com pretensões de ascender na tabela. Pois, mesmo com todos estes pontos positivos, o início de temporada do camisa 8 com os Hammers sai melhor do que a encomenda. Felipe Anderson se tornou o principal jogador da equipe. E a prova disso veio em horário nobre, no jogo que complementou a rodada do Boxing Day. O destaque anotou os dois gols dos londrinos na virada por 2 a 1 sobre o Southampton, em St. Mary’s.

Felipe Anderson já tinha se saído bem no primeiro tempo, quando o West Ham teve uma postura mais agressiva que o Southampton. Logo aos cinco minutos da etapa complementar, porém, os Saints abriram o placar. Lukasz Fabianski segurou como pôde o bombardeio dos alvirrubros, até que Nathan Redmond completasse às redes na raça. De qualquer forma, a reação dos Hammers não tardou a acontecer. E dependeu justamente da qualidade do camisa 8, atuando aberto como ponta esquerda, mas aparecendo para definir.

 

O empate do West Ham aconteceu três minutos depois. Maya Yoshida afastou um cruzamento da esquerda. Só que a sobra caiu nos pés de Felipe Anderson, na entrada da área. Ele dominou e, com espaço, soltou a bomba de direita, no cantinho da meta defendida por Alex McCarthy. Já um bonito gol. E aos 14 minutos, o meia concluiria o contragolpe perfeito dos Hammers. Michail Antonio teve grandes méritos na jogada, ao arrancar do campo de defesa e dar a enfiada ao companheiro. Felipe Anderson recebeu, invadiu a área e, com toda a liberdade, bateu com categoria para tirar do alcance de McCarthy. No fim do jogo, o camisa 8 ainda parou em duas boas defesas de McCarthy.

Com os dois gols desta quinta-feira, Felipe Anderson chega aos oito em 19 partidas na Premier League, além de duas assistências. É o goleador do West Ham no campeonato e o sétimo na artilharia geral – igualado a Sergio Agüero, por exemplo. Próximo das melhores marcas da carreira, atinge tamanha excelência não porque finaliza mais – pelo contrário, sua média de chutes por jogo é inferior à de algumas temporadas com a Lazio. O que faz mesmo a diferença é a precisão: de seus 24 arremates no torneio até o momento, 18 foram em direção da meta e oito terminaram nas redes.

A boa fase de Felipe Anderson no West Ham se confirma principalmente desde novembro. Embora tenha comandado a vitória sobre o Manchester United no final de setembro, sua adaptação completa se deu nos últimos dois meses. Foi quando contribuiu às vitórias sobre Burnley, Newcastle, Crystal Palace e Fulham. Quando passou a impulsionar os Hammers na tabela. E em sua contagem, há ainda algumas pinturas, com menção especial ao toque de letra ante os Red Devils. Além do poder de decisão, o camisa 8 merece elogios por sua participatividade. Movimenta-se bastante, aparece para organizar o jogo, dá o combate. Mas, no fim das contas, são os gols que o fazem cair nas graças da torcida londrina.

Em consequência à insaciedade de Felipe Anderson, o West Ham sobe na Premier League. O time chega aos 27 pontos, na nona colocação, atrás do Everton apenas pelo saldo de gols. Ainda falta um bocado para alcançar a zona de classificação às copas europeias, mas o projeto comandado por Manuel Pellegrini ganha consistência. São cinco vitórias nas últimas seis rodadas, segundo clube com mais pontos conquistados na liga em dezembro – abaixo apenas do Liverpool, e igualado ao Tottenham. E a sequência maleável das próximas semanas permite aos londrinos almejarem mais.