As 53 nações que compõem a Uefa manifestaram apoio unânime à decisão da entidade de punir o Sion, da Suíça, com a exclusão do clube da Liga Europa por inscrever jogadores irregularmente. Os suíços entraram na justiça comum tentando reverter a decisão.

A Uefa pede que a Fifa e a associação suíça de futebol a tomaram uma atiduade concreta, de acordo com o estatuto e regulamento da Fifa, que prevê punição a clubes que entram na justiça comum.

“O sistema independente de justiça do esporte é a melhor garantia de igualdade para todos os participantes nos esportes”, diz declaração emitiada pela Uefa. “As associações nacionais europeias declaram que qualquer membro da família do futebol que se recuse a aceitar as regras da competição não deveria participar dela”.

O Sion estava proibido de fazer contratações por duas janelas de transferências consecutivas. Como o clube fez contratações e as inscreveu no elenco da Liga Europa, acabou excluído, mesmo depois de eliminar o Celtic. Os suíços não só levaram a campo os jogadores contratados como um deles ainda marcou os gols do time.