A K-League, liga sul-coreana de futebol profissional, determinou uma multa recorde para o FC Seoul por colocar 30 bonecas sexuais para simular torcedores no seu estádio, que estava vazio por causa da pandemia de coronavírus. O clube já tinha pedido desculpas pelo ocorrido, alegando que foi um engano com o fornecedor.

A ação do FC Seoul chamou a atenção de torcedores e de espectadores, que viram pela transmissão da TV que as bonecas vestidas com camisas do clube estavam, digamos, um pouco estranhas. Algumas delas inclusive traziam propagandas de sites pornográficos, algo que é proibido na Coreia do Sul. Outras traziam placas com nomes de lojas de brinquedos sexuais. Tudo aconteceu no jogo contra o Gwangju FC, no domingo.

O pedido de desculpas do FC Seoul foi por causar “grandes preocupações” nos torcedores e explicou que o episódio foi fruto de uma confusão com o fornecedor. Disse ainda que recebeu garantias da empresa vendedora que não eram bonecas de cunho sexual. O problema é que mesmo que isso seja verdade, uma vez recebidos os produtos, era fácil perceber que era algo sexual. Ao colocar as bonecas no estádio mesmo assim, o clube pareceu ignorar isso, talvez imaginando que ninguém perceberia.

A K-League decidiu multar o FC Seoul em 100 mil won (algo em torno de US$ 81 mil), alegando que o clube “humilhou profundamente” as torcedoras de futebol e prejudicaram a reputação da liga. A liga aceitou o argumento que o clube não percebeu que eram bonecas sexuais, mas que seria fácil reconhecer a finalidade das bonecas uma vez que tinham sido recebidas usando o bom senso.

Em comunicado, a K-League informou a sua decisão. “A controvérsia sobre o incidente desta ‘boneca realista’ humilhou profundamente as torcedoras e prejudicou a imagem da liga”, diz a nota. O FC Seoul aceitou a multa, pediu desculpas e prometeu prevenir para que o episódio não mais se repetisse.

Em um momento que a liga sul-coreana ganhou atenção do mundo todo por ter sido a primeira a retornar depois de ter sido adiada pela pandemia de coronavírus, o episódio ganhou ainda mais repercussão do que normalmente teria. Os jogos foram iniciados sem público, para evitar aglomerações, e vários clubes fizeram ações para preencher parte das arquibancadas, como auto retratos desenhados por torcedores ou mesmo mascotes de pelúcia.