Nenê chegou ao Campeonato Catariano como uma das principais contratações do mercado de janeiro. Começou justificando as expectativas ao anotar três gols em suas primeiras oito partidas pelo Al Gharafa.  Nesta terça-feira, contudo, o brasileiro agiu de maneira tão desleal que não espantará se ele se tornar um dos jogadores mais odiados do país.

O episódio aconteceu em partida contra o Al Arabi, pela liga nacional. Nenê e Houssine Kharja se estranharam em disputa de bola na lateral do campo, em lance que rendeu cartão amarelo aos dois jogadores. Em outro lance, o atacante acertou outro adversário, sendo expulso. E não se contentou. Kharja voltou a provocar e o brasileiro revidou com um soco pelas costas do marroquino, causando briga generalizada em campo.

Depois da partida, Nenê tentou se retratar pelo ato, mas nada diretamente a Kharja: “Queria apresentar minhas sinceras desculpas aos meus companheiros de clube, aos atletas adversários, bem como ao público presente ao estádio e a todos os que testemunharam meu ato. Em um momento de nervosismo pelo resultado negativo da equipe, acabei cedendo à provocação de uma maneira que não costumo agir e não é do meu caráter. Eu me arrependo sincera e profundamente pelo meu comportamento”.

A indisciplina de Nenê pode render até oito jogos de suspensão. Uma pena máxima justa diante de sua postura. O atacante tem experiência o suficiente para não cair em provocações do tipo. Entretanto, se deixou levar pela irritação com a bola rolando e mostrou-se covarde depois da expulsão. Atitudes que podem colocar em xeque a provável idolatria que receberia no Oriente Médio.