Desde que a Premier League anunciou um acordo de televisão no valor de £ 5,3 bilhões, não tem tido sossego. Na melhor demonstração de que dinheiro não traz felicidade, as torcidas de vários clubes começaram a protestar ou intensificaram o seu descontentamento por causa dos altos preços dos ingressos. Neste sábado, as torcidas de Arsenal e Liverpool vão perder os primeiros 10 minutos do confronto decisivo entre os times de propósito porque querem ingressos mais baratos.

LEIA MAIS: Um mês após Hillsborough, o Arsenal x Liverpool mais dramático valia título e foi decidido no fim

A manifestação reunirá dois grupos de fãs do Liverpool, o Spion Kop 1906 e o Spirit of Shankly, e um do Arsenal, o The Black Scarf. A principal contestação, de acordo com um dos membros do Spirit of Shankly, é o preço dos ingressos para a torcida visitante. “Torcedores dedicados podem viajar, mas não conseguem pagar £ 54 para entrar no estádio e assistir ao time para o qual criaram tantas bandeiras. Tem algo muito errado nisso”, afirmou Roy Bentham ao Liverpool Echo.

Por isso, os grupos organizados, em solidariedade a quem não tem dinheiro para pagar o ingresso, vão passar os 10 primeiros minutos da partida ao lado desses excluídos. “Antigas rivalidades estão sendo postas de lado e torcedores de todos os clubes estão se juntando. Torcedores visitantes ajudam a fazer o evento, mas precisam pagar preços exorbitantes. Em seguida, dizem para eles sentarem e se calarem”, acrescenta Kelvim Meadows, do The Black Scarf.

Semana passada, a Premier League anunciou que vai destinar £ 1 bilhão para o desenvolvimento de clubes menores e de divisões inferiores, entre outros objetivos, mas não foi o suficiente para calar os manifestantes. Querem, principalmente, que a riqueza cada vez maior da liga signifique condições melhores para eles assistirem aos jogos, nos estádios, como deve ser. “Queremos reduções tangíveis na linha do que a classe trabalhadora ganha. Podemos perder uma geração ou mais de torcedores a não ser que as autoridades do futebol acordem”, completa Bentham, do Spirit of Shankly.