Farsa de NY? Premier League diz que Lampard não tem acordo para ir para MLS

Controvérsia sobre o jogador aumenta com a revelação da Premier League que não há qualquer acordo para Lampardir para o New York City

Frank Lampard pode até ir para a MLS, mas não há qualquer acordo assinado para que isso aconteça. A informação é da Premier League, que divulgou comunicado para dizer que apurou o caso. Havia suspeita que o Manchester City poderia ter cometido uma irregularidade, seja por usar o New York City para driblar o Fair Play Financeiro da Uefa, seja por ter um jogador que tem os direitos econômicos vinculados a uma terceira parte, o que é proibido na Inglaterra.

MLS: Contratar Gerrard é bom, mas MLS precisa aumentar a média salarial se quiser crescer
NBA: [Vídeo] Gerrard chegou a Los Angeles com as melhores boas-vindas: de Kobe Bryant
LA: Com financiamento de estádio aprovado, Las Vegas vira forte candidata à MLS

Lampard deixou o Chelsea na última temporada, depois que seu contrato com o clube se encerrou. Colocou o fim em uma história de 11 anos como o maior artilheiro da história do clube. Em julho, foi anunciado como reforço do New York City, time que começaria a disputar a MLS só em 2015. Na sua primeira coletiva como jogador do novo time da MLS, Lampard teve que explicar uma polêmica sobre o 11 de setembro. Pouco depois, mais polêmica com o anúncio que Lampard jogaria no Manchester City por empréstimo até dezembro de 2014.

O contrato com o Manchester City foi anunciado como empréstimo pelo próprio New York City. Portanto, deveria envolver cinco partes: a MLS, a Premier League, o New York City, o Manchester City e o próprio Lampard. No fim de dezembro, foi anunciada a extensão do empréstimo de Lampard ao Manchester City até o fim da temporada, pelo seu ótimo desempenho. Isso foi motivo de muita controvérsia e os esqueletos começaram a sair do armário. A começar pelos torcedores do New York City, que ficaram enfurecidos com o fato de não contarem com sua principal estrela desde o começo da temporada, em março, até julho, quando teoricamente ele chegaria para jogar.

Frank Lampard em ação do New York City (AP Photo/Craig Ruttle)
Frank Lampard em ação do New York City (AP Photo/Craig Ruttle)

Ficou claro que tanto Lampard quanto o técnico do Manchester City, Manuel Pellegrini, quiseram que o contrato fosse mantido até o fim da temporada. Lampard tem jogado bem e sido uma excelente opção para o técnico. Do ponto de vista pessoal do jogador, ele está na liga que é a sua casa, se destacando e com a chance real de ganhar mais um título da Premier League. Mais até: de ganhar o título europeu, por que não? A revolta dos torcedores do New York City fez com que Manuel Pellegrini chegasse a declarar que poderia oferecer um novo contrato para que Lampard continuasse jogando pelo time na próxima temporada.

Descobriu-se então que o contrato de Lampard já era até o final da temporada, mas tinha uma cláusula para rescisão no dia 31 de dezembro, que foi retirada para que ele pudesse continuar. Foi quando surgiram os primeiros relatos que Lampard não teria qualquer vínculo assinado com o New York City e sim com o City Football Group, que controla os dois clubes. O problema é que isso poderia caracterizar que Lampard tem os direitos econômicos vinculados a uma chamada “terceira parte”, o que é proibido pela Premier League – o West Ham chegou a ser punido porque Carlos Tevez e Javier Mascherano tinham seus direitos econômicos vinculados a Kia Joorabchian. A suspeita é que o Manchester City teria feito a mesma coisa.

Só que segundo informou a Premier League, o contrato do “Super Frank”, como a torcida do Chelsea e o chamava e como os torcedores do City o estão chamando, só envolve duas partes: Manchester City e o jogador.  “Frank Lampard está registrado como jogador do Manchester City até o fim da temporada 2014/15”, diz o comunicado da liga. “A Premier League tem procurado e recebido garantias do Manchester City que não há acordo em vigor entre o clube, ou o City Football Group com o New York City FC relativo ao jogador”.

Don Garber, comissionário da MLS, declarou à Sports Illustrated que o contrato de Lampard na verdade era com o City Football Group. “Temos que trabalhar duro agora para seguir em frente e reconhecer que Frank só jogará pelo seu time em julho”, disse o dirigente, em referência ao New York City. O diretor de futebol do NYCFC, Claudio Reyna, declarou no dia 31 de dezembro que Lampard ia para o time de Nova York em julho. “Ele está ansioso para chegar a Nova York assim que seu compromisso terminar na Inglaterra e estará disponível para jogar como jogador permanente do elenco, dado que ele se juntará a nós tendo jogado no mais alto nível”, declarou Reyna.

O problema é que tudo isso cheira cada vez mais como mentira. Ou os dirigentes do New York City e da MLS estão mentindo, ou quem está fazendo isso é o Manchester City para evitar uma punição. De qualquer jeito, sabemos que quem mais foi desrespeitado nisso tudo foram os mais de 11 mil nova-iorquinos que compraram carnês de temporada para ver Frank Lampard, e não verão. Ao menos nos três primeiros meses. A história toda soa como farsa da MLS e do New York City, o que pega muito mal para a liga e para o clube, que tanto tem investido em marketing para ser o legítimo representante nova-iorquino na MLS – afinal, o New York Red Bulls joga em Nova Jersey.

Atualização, 9 de janeiro de 2015, 11h42

Lampard veio a público esclarecer a situação.

“Eu quero deixar totalmente clara a minha situação, já que li muitas mentiras e coisas sem sentido nos últimos dias. Quando eu fui liberado pelo Chelsea na temporada passada no fim do meu contrato, eu assinei um compromisso para jogar no NYCFC por dois anos, começando no dia 1º de janeiro de 2015. Então me foi oferecida uma oportunidade de treinar e fazer parte do elenco do Manchester City neste intervalo para me manter em forma quando fosse para Nova York”, afirmou o jogador, em comunicado.

“Este período foi estendido pelo Manchester City e eu agora começarei a jogar pelo NYCFC no fim da atual temporada da Premier League. Tem havido um constante diálogo entre todas as partes neste momento para encontrar a melhor solução para todo mundo. Eu posso dizer que estou muito empolgado sobre chegar em Nova York e dar tudo para o time e nos fazer um sucesso na MLS o mais breve possível”, declarou ainda o ex-jogador do Chelsea.

Esclareceu? Bom, o compromisso, aparentemente, não é um contrato. Quando for para Nova York – se é que vai mesmo -, Lampard terá que enfrentar uma forte desconfiança.