Lionel Messi compete entre os melhores da história também em diversos requisitos específicos. E, cada vez mais, se coloca em pé de igualdade aos principais batedores de falta de todos os tempos. A precisão do camisa 10 nas bolas paradas se tornou espantosa ao longo dos últimos anos. Mesmo que nem surpreenda mais, é difícil não ficar boquiaberto com a repetida arte do craque. Algo que a torcida do Barcelona desfrutou neste sábado, no Camp Nou, durante o triunfo por 4 a 1 sobre o Celta de Vigo. Em uma partida mais complicada do que deveria, duas cobranças de falta perfeitas de Messi resolveram a situação para um Barça insuficiente mesmo com a goleada.

O Barcelona precisava ser mais incisivo no início, mas não demorou a sair em vantagem. Messi parou no goleiro Rubén Blanco em sua primeira tentativa. Já aos 23, um toque de mão dentro da área do Celta permitiu que os blaugranas fizessem o primeiro gol. Messi cobrou o pênalti com tranquilidade. O Celta tentou sair mais depois disso, sem fazer muito. Contudo, logo após um gol anulado de Messi, os galegos chegaram ao empate. Curiosamente, o lance surgiu após uma bola perdida pelo craque, que “cometeria” uma falta bem discutível aos 40. Lucas Olaza mandou no capricho e Marc-André ter Stegen não alcançou.

O tento de Olaza soava como uma provocação a Messi, não só por nascer em uma cobrança de falta, mas também pela maneira como a jogada se deu. A resposta veio cinco minutos depois. O erro de cometer uma infração na entrada da área contra o Barcelona está justamente em conceder a oportunidade para o camisa 10. Muitas vezes, ele é letal. Foi o que aconteceu. Messi marcou o seu segundo gol com uma cobrança de falta na gaveta, sem que Blanco pudesse evitar.

Sem fazer uma boa atuação, o Barcelona mudou seu ataque na volta para o segundo tempo e melhorou. Ernesto Valverde tirou Ansu Fati, que deu lugar a Ousmane Dembélé. O ponta quase marcou um golaço logo no primeiro minuto. Antoine Griezmann foi outro que passou a participar mais. Mas a tranquilidade viria com Messi, pouco depois, em nova falta na entrada da área. O camisa 10 foi ainda mais preciso que no tento anterior e completou uma tripleta de chutes fatais. De quem sabe como bater na bola.

Depois disso, o Celta até arriscou uma pressão, mas Stegen estava atento sob as traves. Griezmann responderia, carimbando Blanco. A partida perdeu ritmo e o Barcelona administrava o seu resultado, com as melhores jogadas quase sempre contando com a participação de Messi. Quando Gabriel Fernández poderia ter descontado, estava impedido, o que o livrou do erro enorme na conclusão. Já aos 39, o Barça fechou a conta ao marcar o quarto gol, com Sergio Busquets. Depois de um lance de Dembélé pela esquerda, a defesa celeste só afastou o perigo parcialmente e o volante pegou bem a sobra para estufar as redes. Chance de gol, depois disso, só em outra falta de Olaza. Stegen não o deixou atrapalhar o protagonismo de Messi.

Segundo dados do MisterChip, Messi chegou a 51 gols de falta na carreira. Entre os atletas em atividade, apenas Cristiano Ronaldo o supera, com 54. Nesta, o camisa 10 parece pronto a levar a melhor. Apenas por La Liga, o argentino acumula 34 gols de falta, superando nomes como Roberto Carlos e Ronaldinho. E o mais impressionante é a forma como o seu aproveitamento melhorou. Até 2014/15, eram 12 gols em 174 tentativas. Desde 2015/16, são 22 gols em 174 batidas. Quase dobrou o seu percentual de acerto.

O Barcelona segue na liderança do Campeonato Espanhol graças aos detalhes. O time alcança os 25 pontos, à frente do Real Madrid no saldo de gols. Recupera-se após a pesada derrota para o Levante no compromisso anterior. Neste momento, o equilíbrio indica um clássico quente em dezembro. Já o Celta, que acabou de demitir o técnico Fran Escribá, aparece na zona de rebaixamento. É o antepenúltimo colocado, com nove pontos conquistados.

Classificações Sofascore Resultados