O zagueiro Fabio Cannavaro revelou que se arrepende de não ter encerrado a carreira Napoli, clube no qual se profissionalizou. Em entrevista ao jornal Corriere dello Sport, o capitão da Itália na Copa de 2006 comentou que sonhava se despedir do futebol em sua cidade natal. O jogador de 38 anos se aposentou em julho, depois de ser diagnosticado com uma séria lesão no joelho.

“Eu comecei a minha carreira no Napoli e gostaria de ter me aposentado com a camisa do clube. Fico triste por eu não ter sido o que o Paolo Maldini foi pelo o Milan ou o Francesco Totti, pela Roma”, disse o ex-zagueiro.

Cannavaro passou quatro anos nas categorias de base dos partenopei, entre 1988 e 1992, quando subiu à equipe profissional. Permaneceu no clube até 1995, se transferindo para o Parma. O defensor fez 58 partidas e um gol com a camisa dos azuis.

“Eu esperava me transformar em um símbolo do clube da minha cidade. Apesar de eu ter jogado por outros times nos últimos anos, amaria ter voltado ao Napoli. Nápoles é a minha cidade, minha vida e significa tudo pra mim”, afirmou o ex-jogador, que chegou a trabalhar de gandula no estádio San Paolo durante a Copa do Mundo de 1990.

Depois de ter sido eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa e de receber a Bola de Ouro da France Football em 2006, Cannavaro passou por Real Madrid, Juventus e Al Ahli, dos Emirados Árabes. Na última temporada, a única em que atuou no clube do Oriente Médio, Cannavaro fez 16 jogos.

Já a despedida da seleção italiana aconteceu no ano passado, logo após a Copa do Mundo. O atleta é o recordista em número de jogos pela Azzurra, com 127 partidas disputadas, uma a mais que Paolo Maldini.