Exemplos ao Barcelona: 15 reviravoltas improváveis

A quinze rodadas do Campeonato Espanhol, o Real Madrid abria uma vantagem imponente. Eram dez pontos a mais que o Barcelona, situação inimaginável diante do equilíbrio entre os dois clubes nas últimas temporadas. Sete partidas e dois tropeços depois, os merengues voltaram a levantar uma dúvida que já parecia sanada para muitos: ainda dá para o Barça protagonizar uma reviravolta e levantar o caneco do Espanhol?

Na história do Campeonato Espanhol, é possível apontar seis grandes reviravoltas na disputa ao título. Curiosamente, o Barcelona é quem possui o melhor retrospecto de arrancadas finais, com três conquistas deste tipo – enquanto o Real Madrid deixou escapar em duas oportunidades a taça que parecia em mãos. Já a única vez em que os rivais tiveram seus destinos cruzados foi exatamente a 20 anos atrás, quando os blaugranas assumiram a liderança somente na rodada final.

Ao longo das últimas duas décadas, também não foram poucos os casos em outros países de prováveis campeões que, apesar da grande diferença aberta em relação ao segundo colocado, sucumbiram na reta final de suas ligas – e aos mais variados estilos. Considerando os principais campeonatos nacionais da Europa e da América, listamos os principais exemplos de motivação para o Barça. E separamos também uma história asiática, vexatória o suficiente para deixar o Real Madrid de sobreaviso.

Campeonato Espanhol 1991/92
Real Madrid: seis pontos para o segundo colocado no fim do primeiro turno (dois pontos por vitória)

Estrelado por Hagi, Butragueño e Hierro, o Real Madrid dava sinais que iria retomar sua hegemonia na Liga desde o início da campanha, quando saltou à liderança na quinta rodada e ganhou doze de seus treze primeiros jogos – o único empate foi exatamente no clássico, 1 a 1 no Bernabéu, assim como seria no Camp Nou. Como era de se prever, o ritmo não se manteve na sequência da disputa, o que não significou a perda do topo da tabela pelos merengues. A aproximação do Barcelona só tomaria forma nas cinco rodadas finais, quando a equipe de Johan Cruyff venceu todas as partidas. A persistência dos catalães foi coroada na rodada final, quando os blancos perderam para o Tenerife por 3 a 2, depois de abrirem dois gols de vantagem no placar. Detalhe que os dois últimos gols dos blanquiazules vieram entre os 32 e os 33 minutos do segundo tempo, ambos graças a falhas defensivas bisonhas do Real Madrid.

Campeonato Espanhol 2003/04:
Real Madrid: sete pontos para o segundo colocado a 12 rodadas do fim

O próprio Florentino Pérez sentiu o gosto de um título perdido quando vivia a primeira era dos Galácticos. No primeiro ano em que David Beckham se juntou a Raúl, Ronaldo, Zidane e Figo, os merengues desfrutaram da liderança de dezembro a abril, perdendo somente dois confrontos no período. Entretanto, a derrota na final da Copa do Rei para o Zaragoza e a eliminação na Champions frente ao Monaco também tiveram efeito na Liga. Foram sete derrotas nas últimas dez rodadas, com o Valencia campeão e o Real Madrid apenas em quarto.

Campeonato Espanhol 1993/94
Deportivo: cinco pontos 
para o segundo colocado a doze rodadas do fim (dois pontos por vitória)

Em um tempo no qual as vitórias eram menos valorizadas, o Deportivo confirmou suas chances de título em dezembro, apontando na primeira colocação da Liga. O time de Bebeto e Mauro Silva permaneceu sem dar brechas para os rivais até fevereiro, quando uma série de quatro jogos sem triunfar desacelerou a campanha e permitiu a aproximação do Barcelona. Mesmo encostados nos concorrentes, os blaugranas só confirmaram o título no último compromisso, ao receber a ajuda do Valencia, que segurou o 0 a 0 contra o Depor.

Campeonato Inglês 1997/98
Manchester United: 
doze pontos para o segundo colocado a dez rodadas do fim

Os Red Devils deixaram escapar um título que parecia garantido já em fevereiro, quando venceram o Chelsea por 1 a 0 e tinham a tranquilidade dada por 12 pontos de vantagem para o vice-líder. O United, porém, venceu apenas cinco de seus últimos dez jogos. E, sobretudo, acabou surpreendido pelo calendário irregular do Arsenal, que disputou treze partidas no mesmo período. Os Gunners ganharam dez destes jogos, inclusive o confronto direto. Com três rodadas de antecipação já eram campeões, no primeiro título inglês de Wenger.

Campeonato Inglês 1995/96
Newcastle: nove pontos 
para o segundo colocado  a 11 rodadas do fim

A refugada mais notável da Premier League foi protagonizada pelo Newcastle, prestes a ganhar seu primeiro título nacional desde 1927. O time treinado por Kevin Keegan assumiu a liderança desde a primeira rodada e se aproveitou da série ruim do Manchester United no final de 1995 para chegar à diferença máxima de 12 pontos. A partir de janeiro, os Red Devils se transformaram em um time imbatível, enquanto os Magpies colhiam derrotas. A perda da liderança, enfim, ocorreu a seis rodadas do fim, após o clube ser superado pelo Arsenal. O Newcastle se recuperou parcialmente no fim, mas de forma insuficiente para tirar os quatro pontos abertos pelo United.

Campeonato Inglês 1991/92
Manchester United: cinco pontos 
para o segundo colocado a cinco rodadas do fim

O período não era dos mais prodigiosos para Alex Ferguson, que completou cinco temporadas sem o título do Campeonato Inglês. No último ano antes da criação da Premier League, o United tinha tudo para carimbar a faixa. Ficou no topo da tabela em 33 das 42 rodadas da competição. Mas deixou a pressão pesar justamente na reta final, perdendo três de seus últimos cinco jogos e assistindo ao Leeds acabar com o troféu.

Campeonato Italiano 1999/00
Juventus: nove pontos 
para o segundo colocado a oito rodadas do fim

Encabeçada por Zidane e Del Piero, a Juventus sustentou 22 partidas de invencibilidade entre a quinta e a 26ª rodada da Serie A. Um aviso veio após duas derrotas seguidas para Milan e Lazio, embora a Vecchia Signora mantivesse cinco pontos de diferença até a 31ª rodada. As chances de título foram implodidas nos últimos três jogos, a começar por uma derrota para o Verona. No confronto seguinte, o triunfo sobre o Parma só veio graças ao apito amigo, que não legitimou o gol que empataria a partida. Do outro lado, a Lazio fez sua parte ao vencer seus últimos três encontros e ainda contou com o acaso para ficar com a taça. Sob chuva torrencial que fez o intervalo ter 82 minutos, o Perugia mudou os rumos do torneio ao vencer a Juve por 1 a 0.

Campeonato Italiano 1998/99
Lazio: seis pontos 
para o segundo colocado a sete rodadas do fim

O título de 1999/00 ao menos valeu para diminuir a frustração da Lazio no ano anterior. O timaço de Mihajlovic, Nedved e Vieri não teve um bom começo na Serie A, mas passou a destroçar os adversários justamente depois de um empate contra a Roma. Depois disso, foram 13 vitórias, quatro empates e a liderança a partir da 21ª rodada. Mesmo caindo diante de Roma e Juventus, os biancocelesti seguraram um ponto a mais que o Milan. No entanto, um empate com a Fiorentina na penúltima rodada deu o troféu aos rossoneri – que, mérito próprio, também venceram seus últimos sete jogos.

Campeonato Alemão 2006/07
Schalke 04: seis pontos 
para o segundo colocado a 13 rodadas do fim

O Schalke 04 teve sua grande oportunidade de quebrar o jejum de 49 anos sem o título do Campeonato Alemão em 2007. Tendo Kevin Kuranyi, Lincoln e Neuer como destaques, os Azuis Reais ficaram por 13 rodadas na dianteira, abrindo vantagem máxima de seis pontos no início do segundo turno. Em uma competição equilibrada, o clube só foi pagar o preço dos seguidos tropeços na penúltima rodada, quando perdeu para o Dortmund e abriu alas para o Stuttgart se sagrar campeão.

Campeonato Alemão 2001/02
Bayer Leverkusen: cinco pontos 
para o segundo colocado a três rodadas do fim

Depois de deixar o título com o Bayern Munique na última rodada da temporada 1999/00, os aspirinas voltaram a dar vexame dois anos depois. A equipe não resistiu à forte maratona de ter que disputar a Bundesliga, a Copa da Alemanha e a Liga dos Campeões.  Contando com Ballack, Zé Roberto e Lúcio, o time começou a entrar em colapso no início de abril. Após nove semanas na liderança, o Leverkusen perdeu dois de seus últimos três jogos no Alemão e viu o Borussia Dortmund no alto do pódio. Para piorar o desastre, o clube caiu para o Schalke na decisão da Copa da Alemanha e também foi batido pelo Real Madrid na final da Champions, fechando a temporada três vezes vice.

Campeonato Francês 2009/10
Bordeaux: dez pontos 
para o segundo colocado no fim do primeiro turno

Os girondinos pareciam encaminhar o bicampeonato na Ligue 1 desde o primeiro turno, quando se aproveitaram da falta de regularidade da concorrência para abrir dez pontos de vantagem na 18ª rodada. Os bons resultados começaram a minguar e, já na 26ª rodada, o Olympique de Marseille tomaria a primeira posição. A tragédia se amplificou ainda mais nas semanas seguintes e o Bordeaux não conseguiu nem ao menos a vaga na Liga Europa, encerrando a disputa na modestíssima sexta colocação.

Campeonato Francês 2001/02
Lens: seis pontos 
para o segundo colocado a cinco rodadas do fim

O primeiro título do heptacampeonato do Lyon veio por méritos próprios, mas também por um vacilo sem tamanho do Lens. Les Sang et Or dominaram o topo da tabela desde a 11ª rodada, chegando ao ápice de seu favoritismo em março, quando tinha duas vitórias de vantagem para os Gones. Empates com Sedan e Troyes, além de uma derrota para o Bastia, começaram a limar a diferença. Já a queda derradeira aconteceu no confronto direto da última rodada, com vitória por 3 a 1 do Lyon, que assumiu a posse da taça da Ligue 1.

Apertura Argentino 2006
Boca Juniors: quatro pontos 
para o segundo colocado a duas rodadas do fim

Com um início arrasador, o Boca Juniors de Palermo, Schelotto e Palacio venceu suas seis primeiras partidas, ostentando oito pontos de vantagem já na nona rodada. O desempenho caiu nos jogos seguintes, mas a tragédia só começou degringolar na antepenúltima rodada. Os xeneizes perderam para Belgrano e Lanús, permitindo que o Estudiantes encostasse na tabela. A pontuação igual dos dois clubes ao fim do Apertura forçou um jogo desempate, vencido de virada pelos pincharratas, que quebraram tabu de 23 anos sem o título nacional.

Apertura Argentino 1995
Boca Juniors: seis pontos 
para o segundo colocado a cinco rodadas do fim

Outro desastre do Boca Juniors já tinha sido visto em 1995. O Torneo Apertura daquele ano marcava o retorno de Maradona, respaldado por um elenco que ainda tinha Caniggia. O time permaneceu imbatível por dezesseis partidas e foi líder por dez. A derrocada começou com dois empates seguidos e culminou com a histórica derrota por 6 a 4 para o Racing em plena La Bombonera. Ultrapassado pelo Vélez, o Boca somou apenas um ponto em seus dois últimos jogos e teve que se contentar com a quarta colocação.

Bônus: o maior colapso dos últimos 20 anos

J-League 2007
Urawa Red Diamonds: oito pontos 
para o segundo colocado a quatro rodadas do fim

Campeão da J-League na temporada anterior, o Urawa nadava de braçada também em 2007, assumindo a liderança na 20ª rodada e não precisando de muito esforço para manter o posto. O time badalado, que contava com Washington e Marcos Túlio Tanaka, abriu diferença de oito pontos sobre o Kashima Antlers, entre as rodadas 29 e 30. A campanha dos Reds começou a desandar justamente quando chegaram à final da LC da Ásia – na qual ao menos foram campeões. Foram três empates e duas derrotas nas últimas cinco partidas, incluindo uma para próprio Kashima, que conquistou o primeiro de seus três títulos consecutivos no Japonês.