O futebol na Alemanha pode ter que voltar a ser disputado com portões fechados para poder terminar a temporada, em meio à pandemia de coronavírus. Quem afirmou isso foi o executivo-chefe da Deutsche Fussball Liga (DFL), Christian Seifert. A Alemanha foi um dos países onde as restrições de circulação das pessoas foram aumentadas pela chanceler do país, Angela Merkel.

“A liga não espera retornar em 3 de abril e ninguém pode dizer quando ou se irá continuar”, disse Christian Seifert, executivo-chefe da Liga Alemã de Futebol (DFL), na reunião desta segunda-feira com os clubes da Bundesliga e 2.Bundesliga.

“Eu estou ciente que o futebol é visto como um negócio de bilhões de dólares. Mas no centro do jogo está todo o jogo em si e 56 mil empregos dependentes de cada dia de jogo. Sem patrocínios ou receitas de TV, aqueles empregos e a próxima existência dos clubes está em perigo. Nós temos que encontrar soluções para continuar nosso negócio”.

“A saúde dos nossos empregados é a nossa mais alta prioridade. Mas também temos que lutar pelos nossos funcionários e sua segurança financeira, por favor, mantenham isso em mente quando nós tomamos nossas decisões no futuro”, afirmou Seifert.

“É muito cedo especular quando nós iremos retornar. Nós não queremos estabelecer expectativas que nós iremos retornar no começo de abril. A Uefa irá discutir o que fazer com a Eurocopa, o que nos dará espaço para terminar a temporada em junho”, continuou o dirigente, que falou antes da decisão do adiamento da Eurocopa.

Se a temporada doméstica continuar a partir do dia 2 de abril, os 36 clubes, somados os times das duas primeiras divisões, terão um prejuízo potencial de € 750 milhões. A soma inclui a perda de receitas com bilheteria, perda de dinheiro de patrocínios e o dinheiro de TV. Apenas o dinheiro de TV dos últimos nove jogos, caso os últimos nove jogos não sejam disputados, renderia um prejuízo de € 370 milhões.

“Nenhuma liga tem seguro contra pandemias”, afirmou Seifert. “As ligas têm seguro para cobrir os jogos cancelados e alguns clubes tentaram um seguro contra uma pandemia, mas os pagamentos do seguro seriam impossivelmente altos”, continuou o dirigente. “Sem receita de televisão, patrocínios e bilheteria, nós podemos apenas sobreviver por um período curto de tempo. Os jogos fantasmas [sem torcida] serão a única forma para sobreviver a curto prazo”.

A DFL é responsável pela gestão das duas primeiras divisões da Alemanha, a Bundesliga e a 2.Bundesliga. A situação da Alemanha continua sendo grave e as coisas continuam escalando com um segundo jogador da Bundesliga tendo sido diagnosticado com coronavírus. Depois de Luca Kilian, do Paderborn, um jogador do Hertha Berlim também está com a doença. Segundo o clube, “jogadores, técnicos e funcionários irão passar por um período de isolamento recomendado de 14 dias”. Outros jogadores da segunda divisão já foram constatados com o Covid-19.