Febian Brandy passou nove anos nas categorias de base do Manchester United, mas nunca conseguiu despontar na equipe principal. Depois do fim de seu contrato com o clube, rodou por equipes de divisões inferiores e, aos 30 anos, já está aposentado, tendo pendurado as chuteiras em 2018. Ainda que não tenha tido a carreira com a qual sonhou, ainda viveu o privilégio de ser profissional – e quer possibilitar o mesmo, e até mais, a outros que sonham ser jogador de futebol. Para isso, decidiu criar o app Skouted.

Basicamente, o Skouted é uma plataforma em que jogadores podem publicar vídeos com seus melhores momentos e serem encontrados por olheiros de clubes ou empresários buscando atletas para representar.

Brandy diz que o objetivo da empreitada é ser o elo entre o futebol amador e de base (chamado de “Grassroots”) e o futebol profissional. Por enquanto, o aplicativo já conseguiu criar algumas oportunidades.

“Eu diria que provavelmente temos entre 200 e 300 jogadores que farão testes globalmente nos próximos três meses”, estima o ex-atleta.

Entre as histórias de sucesso precoce da plataforma está a de Tope Fadahunsi, ex-jogador da base do Watford. Aos 20 anos, cursando arquitetura na Universidade Loughborough, Tope passou os últimos quatro anos rodando por clubes de pequena expressão na Inglaterra. Por meio do app, no entanto, foi contatado pelo Kemi City, da Finlândia, e foi contratado pelo clube escandinavo. Pouco tempo depois, ajudava a equipe a subir para a primeira divisão do finlandesão.

Por mais que este seja um destino bem alternativo, Fadahunsi conta à BBC que os contatos que fez no Kemi abriu portas para o interesse das seleções Sub-21 de Gana e Nigéria, países de origem de sua família.

Jogadores chineses também ganharam oportunidades a partir da plataforma de Brandy, com atletas fazendo testes na MLS e na USL (United Soccer League, equivalente a uma segunda divisão), e alguns filipinos encontrando times na China.

Em entrevista à Forbes, antes do lançamento do aplicativo, Brandy contou que viu muita gente na base do United não ter mais oportunidades por falta de contatos no futebol, especialmente de agentes ou olheiros.

Ele mesmo, Brandy, cresceu ao lado de jogadores que se tornariam nomes importantes no futebol inglês, jogando na primeira divisão ou até vencendo a Premier League, como Danny Welbeck, Danny Drinkwater e Ryan Shawcross, entre outros. Não teve a mesma sorte que alguns colegas, mas ainda assim o suficiente para permanecer por uns bons anos no futebol profissional, ainda que em equipes como o Walsall e o Sheffield United.

Como ilustrado pela história de Tope Fadahunsi, às vezes tudo o que separa um atleta de uma carreira profissional é ser visto pela pessoa certa.