Ao longo dos últimos anos, Valdiram havia retornado às manchetes. Mas o atacante que se destacou no Vasco em 2006, vice-campeão da Copa do Brasil, não vivia os últimos momentos da carreira ou recontava suas histórias nos gramados. Ele se tornara morador de rua, lidando com seus vícios. As notícias sensibilizaram e o ex-atleta de 36 anos ganhou apoio do antigo clube, levado a uma clínica de reabilitação. Após receber alta, teve uma oportunidade no Olaria, mas sofreu uma recaída e voltou às ruas. As informações sobre o veterano se tornaram escassas. Até que, neste sábado, surgiu a trágica confirmação: Valdiram foi encontrado morto em São Paulo. A informação, veiculada inicialmente pela Band, foi confirmada junto ao IML por diferentes veículos de imprensa.

Se esteve longe de ser um craque, Valdiram ao menos marcou seu nome, sobretudo por aquele período de destaque no Vasco. Chegou a rodar por diferentes equipes brasileiras e também do exterior. O atacante, porém, conviveu com problemas disciplinares e a dependência química trouxe consequências além de sua carreira. Antes mesmo de se tornar morador de rua, havia enfrentado graves dificuldades por conta das drogas. Também chegou a ser preso três vezes antes mesmo da transferência ao Vasco, duas vezes acusado de tentativa de estupro.

Em dezembro, Valdiram havia figurado em um vídeo publicado nas redes sociais. Aparecia ao lado de um torcedor do Vasco, pedindo ajuda a antigos companheiros e outras pessoas ligadas ao futebol. Quatro meses depois, faleceu. Conforme apuração do jornal Extra, o veterano estava morando na Cracolândia e algumas pessoas mais próximas buscavam ajuda para interná-lo novamente.

Abaixo, algumas reportagens que relatam as dificuldades que o ex-atacante enfrentava:

Lance!: Entrevista exclusiva em outubro de 2015, falando sobre a dependência

Extra: Valdiram vira morador de rua no subúrbio do Rio

UOL: Vasco oferece ajuda a Valdiram