Apesar de ter feito contratações para o ataque, o Everton havia marcado apenas um gol na três primeiras rodadas da Premier League e teve um desempenho ofensivo particularmente ruim na derrota para o Aston Villa. Para derrotar o Wolverhampton, adversário direto na briga pelo sétimo lugar (ou mais), a pontaria teria que melhorar. E melhorou. Richarlison liderou o setor com dois gols, e o Everton venceu por 3 a 2.

Logo aos cinco minutos, Coady recuou na fogueira para Rui Patrício. Moise Kean conseguiu desviar o passe e Richarlison pegou de primeira uma bonita finalização para abrir o placar e assegurar que o Wolverhampton, sétimo colocado da última Premier League graças a uma forte defesa, fosse vazado pelo quinto jogo consecutivo.

Vacilo de um lado, vacilo do outro. Os dois laterais do Everton não foram muito bem na jogada. Digne foi facilmente batido por Adama Traoré e Coleman deixou o cruzamento rasteiro vivo dentro da pequena área. Bastou a Romain Saïss empurrar às redes, e o Wolverhampton empatou aos nove minutos.

No entanto, o começo meio maluco de jogo continuou e, aos 12, os donos da casa voltaram à frente. Sigurdsson escapou pela direita e cruzou para a segunda trave, onde Iwobi estava livre para cabecear e fazer 2 a 1.

Os gols continuaram vindo em pares no segundo tempo. Aos 30 minutos, a defesa do Everton bobeou em uma cobrança de lateral longa. Boly desviou de cabeça para trás, e Jiménez empatou para o Wolverhampton. Cinco minutos depois, porém, Digne cruzou na primeira trave e Richarlison apareceu para desviar de cabeça no canto de Rui Patrício.

Foram os dois primeiros gols de Richarlison nesta edição da Premier League, e o Everton garantiu sua segunda vitória. O Wolverhampton ainda não venceu. Tem três empates e, agora, uma derrota.