O Everton anunciou a contratação do volante Allan, que estava no Napoli. Aos 29 anos, o brasileiro chega ao Goodison Park por € 25 milhões, a pedido do técnico Carlo Ancelotti, com quem trabalhou no clube italiano. O meio-campista assinou contrato até 2023 com os Toffees e espera, assim, recuperar o bom futebol que o levou à seleção brasileira. Será mais um brasileiro no elenco do time azul de Liverpool, ao lado de Richarlison e Bernard. Allan recebeu a camisa 6 do Everton.

“É um grande prazer assinar com o Everton. Estou imensamente feliz por estar aqui”, afirmou o jogador ao ser apresentado. “Como tenho feito em toda a minha carreira, espero que eu possa contribuir com minhas atuações junto com meus companheiros de equipe e fazer grandes jogos, ter grandes atuações e conquistar coisas importantes. Trata-se de um clube com grandes ambições, com uma história rica na Premier League e com o professor Ancelotti”.

Ancelotti foi um fator decisivo para Allan decidir mudar de clube. Gennaro Gattuso contratou jogadores para a sua posição já na janela de janeiro, o que fez com que o brasileiro perdesse espaço na escala de preferências do atual treinador napolitano. Com Ancelotti, Allan era titular habitual do Napoli e fez 61 jogos sob o comando do italiano.

“Ele fez todo o possível para me trazer. Com um clube desse tamanho e com um treinador como ele, significa que você não pensa duas vezes antes de aceitar vir para o Everton”, declarou o jogador. Conhecido por ser excelente nos desarmes, foi líder nesse quesito ainda atuando pela Udinese, clube que defendeu por três temporadas.

“Uma parte forte do meu jogo é marcar e o desejo de entrar para ganhar absolutamente todas as bolas”, disse Allan evertontv. “Esse é definitivamente um diferencial no meu jogo e acredito que, com o meu desejo, posso fazer performances muito boas para conquistar os torcedores”.

Allan recebeu a camisa 6 no Everton (Divulgação Everton FC/ Getty Images)

“Espero ganhar grandes coisas aqui no Everton, ganhar alguns troféus, então haverá uma enorme dedicação de mim. Na vida de um jogador de futebol, trata-se de ganhar troféus. Sem dúvida, com o projeto acontecendo aqui, poderíamos e devemos ganhar alguma coisa e conseguir um lugar nas competições europeias, o que seria muito importante. Tenho sido muito competitivo desde criança; sempre quis vencer.

“Tudo o que fazemos no meio-campo e na defesa — ganhar um 50/50, ganhar um desarme ou um contra um, limpar a bola — muitas vezes é como marcar um gol. No jogo, às vezes essas coisas são muito importantes. Às vezes tudo parece tão natural, mas um desarme, ganhar um um-a-um, limpar uma bola, se é um jogo muito apertado, celebramos como se fosse um gol. Isso é dedicação e dar tudo em campo”, afirmou Allan.

Formado pelo Vasco, esteve na campanha do título da Copa do Brasil e também na campanha do time na Libertadores de 2012, quando o time acabou eliminado pelo Corinthians, que seria campeão. Foi contratado pela Udinese em 2012 e ficou até 2015. Foi para o Napoli por € 11,5 milhões e teve ótimos momentos pelo clube do sul italiano. Deixa o clube com 212 jogos disputados, 11 gols e 16 assistências.

É uma contratação interessante para o Everton, que ganha um jogador de muita força física no seu meio-campo. Allan é rápido, tem o desarme como o seu principal recurso, mas também tem força para chegar à frente e agredir o adversário com ataques aparecendo perto da área. Sem perspectivas no Napoli, no Everton poderá mostrar as suas características, que parecem se encaixar bem no estilo de jogo da Premier League.