Europa

Raras vezes a escolha do Prêmio Golden Boy, ao melhor jogador sub-20 da Europa, foi tão disputada

O prêmio Golden Boy possui grande reputação na imprensa europeia. Desde 2003, o jornal italiano Tuttosport aponta o melhor jogador abaixo dos 21 anos (e não sub-21, como informado originalmente no texto) do futebol europeu, em eleição na qual veículos de outros países também tomam parte – incluindo France Football, L’Equipe, Marca, Mundo Deportivo, Bild, De Telegraaf, The Times e A Bola. A lista de vencedores inclui alguns futebolistas que não vingaram como se esperava, mas outras tantas estrelas que realmente marcam suas trajetórias no futebol internacional. Lionel Messi é o maior exemplo positivo, enquanto Renato Sanches, o ganhador em 2016, tenta dar a volta por cima no Swansea.

Nesta terça, o Tuttosport divulgou os concorrentes ao prêmio de 2017. E dá para dizer que poucas vezes a seleção esteve tão qualificada. Tão cheia de jogadores que se colocam entre os protagonistas da elite europeia. Por toda a repercussão de suas transferências, Ousmane Dembélé e Kylian Mbappé talvez estejam um passo à frente. Terão um duro adversário em Gabriel Jesus, não só pelo momento que vive com o Manchester City, mas também pelo impacto na Seleção brasileira. Gianluigi Donnarumma e Marcus Rashford figuram entre os mais experimentados no nível principal. E ainda há aqueles bons nomes que correm por fora, como Kasper Dolberg, Christian Pulisic, Federico Chiesa e Youri Tielemans.

Obviamente, como qualquer lista, o Tuttosport apresenta alguns nomes contestáveis. Chama a atenção a maneira como a Inglaterra campeão mundial sub-20 acabou supervalorizada, mesmo que alguns selecionados mal atuem por seus clubes. Independentemente disso, mais do que analisar o presente, o prêmio também tenta projetar o futuro, indicando alguns talentos que merecem atenção. E a quantidade de prodígios que se encaixam nesse status é enorme. Depois de uma temporada na qual o número de revelações e afirmações foi alto, a disputa se torna ferrenha.

Aarón Martin (Espanyol);
Jean-Kévin Augustin (RB Leipzig);
Rodrigo Bentacur (Juventus);
Steven Bergwijn (PSV Eindhoven);
Dominic Calvert-Lewin (Everton);
Federico Chiesa (Fiorentina);
Ousmane Dembélé (Barcelona);
Amadou Diawara (Napoli);
Kasper Dolberg (Ajax);
Gianluigi Donnarumma (Milan);
Gabriel Jesus (Manchester City);
Joe Gomez (Liverpool);
Benjamin Henrichs (Bayer Leverkusen);
Borja Mayoral (Real Madrid);
Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain);
Emre Mor (Celta);
Reece Oxford (Borussia Mönchengladbach);
Christian Pulisic (Borussia Dortmund);
Marcus Rashford (Manchester United);
Allan Saint-Maximim (Nice);
Dominic Solanke (Liverpool);
Theo Hernández (Real Madrid);
Youri Tielemans (Monaco);
Enes Unal (Villarreal);
Kyle Walker-Peters (Tottenham).

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.
Botão Voltar ao topo