Champions LeagueEuropa

Dortmund não titubeia e massacra Shakhtar

Tudo deu certo na noite alemã para o Borussia Dortmund. Derrubando o Shakhtar Donetsk em casa, os aurinegros se impuseram diante dos ucranianos e conseguiram sem muito problema vencer por 3 a 0. Graças a excelente atuação de Götze e Błaszczykowski, os donos da casa agrediram a defesa adversária e se aproveitaram da falta de inspiração dos visitantes para ocupar os espaços em campo.

Na base do abafa, os germânicos conseguiam distribuir bem a bola pelo meio-campo. Eficiente na marcação e letal nos contragolpes, o Dortmund levava perigo desde o início, alçando cruzamentos para o meio da área, sempre para Lewandowski, a referência no ataque.

A pressão resultou no primeiro gol em um escanteio aos 31, em cabeçada de Felipe Santana, que subiu junto com Kucher e testou no cantinho de Pyatov. Dominante, o Dortmund  tomou conta e passou a massacrar o oponente, atordoado com a velocidade das iniciativas, em maioria pela direita.

Minutos depois, Lewandowski desceu pela mesma ala direita e cruzou. Götze teve espaço para tocar de primeira e novamente venceu Pyatov. Um princípio de reação do Shakhtar ameaçou tomar cor no segundo tempo, com a entrada de Douglas Costa, que esteve bem na ida. O brasileiro colocou fogo no jogo, cortando a marcação e batendo rente à trave.

Logo Klopp acertou sua retaguarda e com segurança, ao afastar o perigo, armava novas iniciativas perigosas. Numa delas, Błaszczykowski entortou a coluna do zagueiro com um giro, rolou para Gündogan, que soltou o chute. Pyatov soltou e tropeçou no caminho, dando uma grande chance para o meia polonês. 3 a 0, caixão fechado para os ucranianos.

Foi impressionante a objetividade dos aurinegros em campo, lembrando o desempenho que teve quando venceu as últimas duas edições da Bundesliga. Futebol de campeão, de quem sabe onde quer chegar. Num duelo entre duas equipes muito parecidas no que se diz estilo de jogo, melhor para quem veio ao campo e liquidou com as chances do rival.

 Formações iniciais

football formations

Destaque do jogo

Błaszczykowski se apresentou para o jogo e foi decisivo quando segurou a bola e deu passes precisos. O polonês fez uma belíssima jogada ao se desvencilhar do seu marcador na jogada do terceiro gol, pegando o rebote de Gündogan. Atuação exuberante.

Momento-chave

Götze foi outro que brilhou no Signal-Iduna Park. O camisa 10 disparou e se posicionou muito bem na área para pegar cruzamento de Lewandowski. Sem marcação, foi fácil tocar para o gol e marcar o segundo tento alemão na partida. Ali o resultado já estava sacramentado.

Os gols

31/1T – GOL DO DORTMUND! Felipe Santana sobe junto com Kucher e toca de cabeça no canto do gol.

37/1T- GOL DO DORTMUND! Lewandowski corre pela direita e cruza, a bola vai na medida para Götze, que toca de primeira para o fundo das redes.

14/2T- GOL DO DORTMUND! Błaszczykowski gira, tira o marcador da jogada e rola para Gündogan, que chuta. Pyatov dá um rebote e vacila, o polonês aproveita e mata o jogo!

Curiosidade

A última vez que o Borussia Dortmund esteve entre os 8 melhores da Liga dos Campeões foi na edição de 1997/98, quando chegaram até a semifinal, perdendo para o Real Madrid, que se sagraria campeão em cima da Juventus.

Ficha técnica

BORUSSIA DORTMUND 3X0 SHAKHTAR DONETSK

Borussia Dortmund_escudo Borussia Dortmund

Roman Weidenfeller, Neven Subotic, Felipe Santana, Lukasz Piszczek, Marcel Schmelzer, Sven Bender (Sebastian Kehl), Ilkay Gündogan (Nuri Sahin), Mario Götze, Marco Reus, Jakub Błaszczykowski (Kevin Grosskreutz), Robert Lewandowski. Técnico: Jurgen Klopp

Shakhtar Donetsk Shakhtar Donetsk

Andriy Pyatov, Oleksandr Kucher, Yaroslav Rakitskiy, Razvan Rat, Darijo Srna, Tomas Hubschman (Taras Stepanenko), Fernandinho, Alex Teixeira, Henrikh Mkhitaryan, Taison (Douglas Costa), Luiz Adriano. Técnico: Mircea Lucescu

Local: Signal-Iduna Park (Dortmund-ALE)
Árbitro: Damir Skomina (ESL)
Gols: Felipe Santana, 31/1T, Götze, 37/2T, Błaszczykowski, 14/2T
Cartões amarelos: Kucher, 15/1T
Cartões vermelhos: nenhum

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo