Champions League

Depay estreou na Champions League pelo United chutando a porta e decidindo o jogo

Memphis Depay foi contratado como artilheiro e melhor jogador do último Campeonato Holandês pelo PSV. Estreou pelo Manchester United vestindo a camisa 9, que era de Radamel Falcao Facia. Com a venda de Ángel Di María ao PSG, o holandês pôde ficar com o seu número preferido, o 7. Uma camisa importante no clube pela história: George Best, Eric Cantona, David Beckham e Cristiano Ronaldo todos vestiram esse número. Nos primeiros jogos pelo clube, Depay jogou pelo meio, atrás de Wayne Rooney, e embora não tenha ido mal, não foi o jogador que brilhou na temporada passada. Na estreia do time na Champions League, Depay jogou onde mais se acostumou: na ponta esquerda. E foi decisivo. Ele foi a grande figura na vitória por 3 a 1, de virada.

LEIA TAMBÉM: Como assistir à Champions League na TV brasileira nesta temporada

Jogando em casa, o Manchester United começou tomando susto. Logo aos oito minutos, em uma cobrança de falta de Victor Vázquez, Januzaj se jogou na bola e desviou, enganando Carrick, que desviou para dentro do gol. Belgas na frente em plena Inglaterra. Mas com o domínio da partida, o Manchester United seguiu tentando ficar no ataque e arrancar o empate. Que veio, não muito tempo depois.

Com 13 minutos, Carrick fez o lançamento longo, Depay recebeu, deu um chapéu no adversário e bateu rasteiro, no canto: 1 a 1. O segundo gol veio só no fim do primeiro tempo. Aos 43 minutos, Depay recebeu de Blind, puxou para dentro e, de pé direito, soltou um belo chute, sem defesa para o goleiro. Virada para os Diabos Vermelhos e tranquilidade para o intervalo de Louis van Gaal.

No segundo tempo, o cenário continuou igual: Manchester United dominando a bola, ficando no campo de ataque e tentando mais um gol. Que não veio. E em alguns momentos, o Club Brugge conseguiu algumas chances em saídas de bola erradas do time da casa. Parecia que as coisas poderiam se complicar a qualquer momento. Van Gaal, então, passou a tentar mudar o time. Já tinha voltado do intervalo com Bastian Schweinsteiger no lugar de Michael Carrick. Mais tarde, trocou Januzaj por Javier Chicharito Hernández. Já no final, aos 39 minutos, entrou Marouane Fellaini no lugar do capitão Rooney. Uma troca que poderia ser de um atacante por um meio-campista. Não foi.

Fellaini entrou no ataque para explorar uma das suas melhores qualidades: o jogo aéreo. Foi assim que o Manchester United conseguiu o gol que não só sacramentou a vitória, como deu uma vantagem um pouco mais folgada para quem vai decidir fora de casa. Em um cruzamento de Depay da esquerda, Fellaini, de cabeça, mandou para as redes. Já eram 49 minutos do segundo tempo. Um gol que joga um balde de água fria no time belga, que agora terá uma missão complicadíssima na próxima semana, quando precisará vencer por dois gols de diferença.

Se Di María não conseguiu encantar os torcedores do Manchester United, o novo dono da camisa 7 já chegou chutando a porta. Dois gols e uma assistência na estreia na Champions, onde o time não tinha espaço para erros. A vitória por 3 a 1 deixou a situação bem mais confortável para o Manchester United no jogo de volta.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo