Champions League

Chelsea se aproveitou do excesso de precaução do PSG para arrancar empate

Pelo que Mourinho já mostrou em partidas de mata-mata, era natural esperarmos que, conforme a necessidade, ele iria recuar o máximo possível o Chelsea nesta terça-feira, contra o Paris Saint-Germain, pelas oitavas de final da Champions League. Acabou nem precisando, já que a postura covarde dos franceses, sobretudo no primeiro tempo, facilitou as coisas para os ingleses, que se defenderam sem muito esforço e atacaram quando necessário, com naturalidade, atraído pelo próprio time parisiense. O empate por 1 a 1, que por pouco não vira derrota dos Blues, deixa os londrinos próximos das quartas de final, e o PSG com o desafio de fazer na Inglaterra o que faltou desde o início na França: se lançar ao jogo.

VEJA TAMBÉM: Olha só a malandragem de David Luiz para ganhar vantagem na cobrança de falta

No primeiro tempo, o Paris Saint-Germain basicamente abdicou de atacar. Atraiu o Chelsea para seu campo e tentava fechar todos os espaços. Por algum tempo funcionou, já que os Blues não forçavam tanto a defesa francesa a ponto de criar chances perigosas. Ainda assim, foi uma pena ver um time com tamanha força ofensiva, com jogadores como Cavani e Ibrahimovic tomar tal postura. Só chegou ao ataque com perigo em lances isolados de bolas aéreas, com Matuidi e Ibra no começo do jogo e com Cavani por volta dos 30 minutos. Pouquíssimo para quem jogava em casa em um duelo tão importante.

A punição pelo comportamento covarde do time de Laurent Blanc veio no próprio primeiro tempo. Uma bola cruzada da direita, sobrevoou a área, sobrou nos pés de Terry, que mandou de volta para o meio, encontrando Cahill. O inglês ajeitou de letra para Ivanovic, de cabeça, abrir o placar aos 35 minutos. Era apenas a primeira finalização a gol do Chelsea, e a defesa parisiense deu bobeira de maneira incrível.

Na volta para o segundo tempo o PSG não tinha opção, senão sair para o jogo. Ora, já estava perdendo, e esperar para contra-atacar um time de Mourinho que esteja vencendo, fora de casa, em um mata-mata, é inútil. A sorte do Paris  Saint-Germain foi ter contado com um vacilo defensivo do próprio Chelsea para empatar, com Cavani, logo no início da etapa complementar. Mais alguns minutos, e os Blues pegariam confiança suficiente para segurar os franceses pelo resto do jogo.

O gol do uruguaio levou a partida a seu estágio mais morno, e o Paris Saint-Germain merece as críticas por não ter buscado com mais incisividade o gol da virada nos minutos finais. Os ingleses estavam satisfeitos com o empate e não iam se lançar à frente, então o time de Blanc precisava de mais contundência do que o que mostrou. Até chegou a levar perigo em duas grandes oportunidades, com tabela entre Cavani e Matuidi, terminando em finalização perigosíssima do atacante, e com uma cabeçada de Ibrahimovic, já no fim do jogo, sendo parada de maneira espetacular por Courtois.

A própria escalação do PSG, com o posicionamento de David Luiz como cabeça de área já denunciava um pouco da precaução excessiva de Laurent Blanc. A disposição dos jogadores do time francês e o modo como ficaram recuados, especialmente no primeiro tempo, expuseram isso. Não será fácil, mas a mudança de mentalidade para a partida da volta, em Londres, precisa acontecer para que a equipe tenha alguma chance de avançar. A Mourinho, resta celebrar o ótimo resultado como visitante e corrigir a desatenção de sua defesa em jogadas de bola aérea. Duas semanas de muito treino no quesito já dificultaria bastante as coisas para o Paris Saint-Germain, que hoje demonstrou depender demais desse recurso.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo