Eu disse a Sarri que seria suicídio aceitar o cargo da Juventus, diz Arrigo Sacchi

Maurizio Sarri foi demitido após uma temporada no comando da Juventus, apesar de ter sido conquistado a Serie A, e não pode dizer que ninguém o avisou. Arrigo Sacchi, bicampeão europeu e meio que um oráculo do futebol desde que se aposentou, quase 20 anos atrás, afirmou que alertou Sarri que não seria uma boa ideia.

E não é que amenizou a mensagem. “Eu lhe disse que era suicídio porque não havia maneira daqueles jogadores se adaptarem ao seu estilo de futebol”, disse Sacchi. “Ele também teve azar de pegar uma pneumonia na pré-temporada, que limitou ainda mais a sua habilidade de realmente introduzir suas táticas naquelas intensas semanas de treinamento”.

Sarri conquistou o scudetto, com um ponto de vantagem sobre a Internazionale, mas selando o título com rodadas de antecedência. Contudo, perdeu a final da Copa Itália para o Napoli e foi eliminado ainda nas oitavas de final pela Champions League. Ainda mais importante, dando razão a Sacchi, seu estilo de jogo nunca pareceu 100% absorvido pelo time da Juventus.

A tabela, neste momento, é liderada por Atalanta e Milan, com nove pontos cada. Segundo o veterano ex-treinador, conquistar a Serie A com a Atalanta seria um milagre de Gian Piero Gasperini e parece que Sacchi acredita em milagres.

“Eu disse a Gian Pierro Gasperini que ele tem apenas duas coisas jogando contra: os compromissos pela Champions League que o farão perder pontos e uma potencial arrogância. A Atalanta tem que seguir fazendo o que tem feito até agora. Vencer o scudetto em Bergamo seria um milagre, mesmo com tudo que ele já fez”, completou.

.