A Sérvia se tornou um dos primeiros países europeus a controlar a curva de contaminação do coronavírus e, por isso, também resolveu afrouxar antes suas medidas preventivas – inclusive nos eventos esportivos. Sem muito controle, as rodadas finais do Campeonato Sérvio e também as fases decisivas da Copa da Sérvia encheram as arquibancadas. Neste final de semana, diante de uma multidão nas tribunas do Marakana, o Estrela Vermelha comemorou o título da liga conquistado ainda no final de maio. Porém, os novos registros da doença devem fazer os sérvios repensarem se não faltou precaução. Depois da festa, os alvirrubros confirmaram que cinco jogadores testaram positivo para a COVID-19.

O Estrela Vermelha havia atravessado dias intensos. Primeiro, com casa cheia, enfrentou o Partizan Belgrado na semifinal da Copa da Sérvia – e viu os rivais avançarem à decisão. Já neste sábado, os alvirrubros disputaram a última rodada do Campeonato Sérvio diante de 18 mil torcedores no Marakana, em compromisso que também serviu para celebrar o tricampeonato nacional. Quatro jogadores ficaram de fora da ocasião e, nesta segunda-feira, o clube confirmou que cinco atletas foram diagnosticados com o coronavírus.

Marko Gobeljic, Njegos Petrovic, Dusan Jovancic e Marko Konatar se ausentaram da última rodada por apresentarem sintomas. Já Branko Jovicic esteve com a equipe e foi titular na vitória por 2 a 1 sobre o Proleter Novi Sad. Apenas depois é que o meio-campista testou positivo, sem os sintomas. “Os jogadores mencionados estão se sentindo bem e se encontram isolados, em constante contato com a equipe médica do clube. A condição dos jogadores está sendo cuidadosamente monitorada e um novo teste será realizado antes do início dos preparativos à próxima temporada”, comunicou o clube, que só volta à ação em agosto.

O Estrela Vermelha ainda salientou que não havia novos casos entre os demais membros: “É importante ressaltar que outros jogadores, dirigentes e funcionários que estavam em contato direto com a equipe principal receberam resultados negativos. O Estrela Vermelha está tomando todas as medidas necessárias e continuaremos a fazê-lo”. Entretanto, a transmissão também nas arquibancadas se torna uma preocupação natural, dada a aglomeração no Marakana.

Não é apenas o futebol que se torna ponto de debate sobre a COVID-19 na Sérvia. Novak Djokovic promoveu um torneio de tênis na região (em Belgrado e na cidade croata de Zadar) e por lá também as medidas de proteção foram ignoradas. O próprio tenista se tornou uma das pessoas que testaram positivo para a doença, confirmando o diagnóstico nesta terça-feira. Sua esposa e outros tenistas que estiveram presentes na competição também contraíram o vírus.

A Sérvia chegou a uma baixa de apenas 18 novos casos por dia no início de junho. Desde a última semana, o país registra uma média de 100 novos casos diários da COVID-19, em clara ascensão. De 226 pacientes ativos há duas semanas, agora o número chega a 731 infectados ainda sem cura e a curva volta a crescer. Ao todo, desde o início da pandemia, foram 13 mil casos positivos e 263 mortos pelo coronavírus no território sérvio.