Estreia de Kaká teve estádio lotado, bandeirão da torcida e gol no último minuto

Mais de 62 mil pessoas fizeram festa no Citrus Bowl para a estreia do Orlando City e Kaká arrancou o gol de empate nos acréscimos

Estádio lotado, papel picado na entrada dos times em campo e tensão com a bola rolando. Alguns elementos típicos de jogos de futebol na América do Sul. Mas o jogo foi na Flórida, nos Estados Unidos. A estreia de Kaká na MLS teve um ambiente com cara de evento americano, com um espetáculo bem organizado, mas com um toque latino. O futebol e a Flórida têm muito de latinidade e isso ficou claro em campo. O público lotou o estádio, com 62.510 pessoas fazendo barulho no Citrus Bowl, o nono maior público da história da MLS.

LEIA TAMBÉM:Antes de Kaká, Brasil está na história do Orlando desde a Seleção de Masters de Rivellino

A torcida fez muita festa para a volta da MLS à Flórida. A torcida do Orlando City tratou de levar ao estádio um bandeirão para marcar a data, daqueles que lembram os bons tempos do futebol brasileiro quando as autoridades não ficavam tapando o sol com a peneira achando que a violência virá desse tipo de manifestação. E o público viu um bom jogo, e ainda saiu comemorando um empate dramático aos 46 minutos do segundo tempo. Foi o primeiro gol do Orlando City na MLS, o primeiro gol de Kaká, o primeiro do time na sua casa. Confira o bandeirão que a torcida do Orlando City produziu para a estreia em casa:

O bandeirão da torcida do Orlando City no Citrus Bowl
O bandeirão da torcida do Orlando City no Citrus Bowl

O jogo teve o Orlando City dominando as ações no primeiro tempo, com Kaká bastante bem. Foi dele a melhor chance do primeiro tempo em um chute de fora da área, mas o brasileiro ajudou muito a armar as jogadas e érea claramente o ponto focal do time roxo. Ele, assim como Break Shea, lateral esquerdo que participa muito do jogo, foram bem na primeira etapa.

Na segunda, porém, o time sofreu mais. O New York City do técnico Jason Kreis conseguiu ter mais a bola e passou a levar perigo. Ter a posse de bola é uma característica dos times do ex-treinador do Real Salt Lake. Chegou algumas vezes ao ataque, enquanto o Orlando City parecia mais cansado, incluindo Kaká. O gol aos 30 minutos começou dos pés da estrela principal dos nova-iorquinos, David Villa, que recebeu na esquerda, fez a jogada e tocou para Mix Diskerud. O camisa 10 do NYC bateu colocado, bonito, e abriu o placar.

O Orlando City teve algumas chances usando da velocidade de jogadores como Cristian Higuita (que nada tem a ver com aquele Higuita) e Kevin Molino. Carlos Rivas também tentou enquanto esteve em campo, mas esteve longe de fazer uma boa partida. O gol veio em uma cobrança de falta. Kaká cobrou, a bola parecia que ia nas mãos do goleio, mas desviou no meio do caminho e matou o goleiro Josh Saunders. Gol aos 46 minutos, com drama, com suor, mas com muita festa.

Com toda a história que o Orlando City tem construído na cidade, o empate pode não ser o resultado mais desejado, mas o dia certamente não será esquecido por lá. Kaká mostrou que poderá brilhar bastante na liga, assim como David Villa. E os dois parece que poderão chamar mais e mais a atenção do mundo para a liga. Exatamente o que a MLS quer.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM:

O que a confusão nos direitos de TV da Copa nos EUA diz sobre a mudança da Copa-2022