Raphael Guerreiro fez uma excelente Eurocopa por Portugal e acabou campeão pelos lusos. Foi contratado pelo Borussia Dortmund para esta temporada e parecia ter sido só uma forma de rechear o elenco, já que o titular, Marcel Schmelzer, não parecia que perderia a posição. Mas o que se viu é que Guerreiro está sendo usado no meio-campo. E está arrebentando. Nos 3 a 1 desta sexta contra o Freiburg, ele marcou um golaço em uma jogada coletiva e deu mais uma demonstração ao técnico Thomas Tuschel que veio para ficar.

LEIA TAMBÉM: Entenda como funcionará a Liga das Nações, o novo torneio de seleções da Uefa

O primeiro gol do jogo até demorou a sair, com Pierre-Emerick Aubameyang, aos 45 minutos do primeiro tempo. No segundo tempo, o lateral direito Lukasz Piszczek marcou o segundo gol aos oito minutos. Aos 15, Maximillian Philipp diminuiu o placar.

O jogo chegou a ficar perigoso, mesmo com o Dortmund sendo muito mais time e dominando o jogo. O placar de só um gol de vantagem tornou tudo possível ao Freiburg. O técnico Thomas Tuschel tirou de campo o apagado Mario Götze e colocou Rafael Guerreiro. Uma mudança que aparentemente poderia ser estranha. Um meia ofensivo por um lateral esquerdo. Só que Guerreiro tem se mostrado um ótimo meio-campista. E o seu gol mostrou isso.

A jogada começou, curiosamente, com um lateral cobrado por Schmelzer. A bola passou por vários jogadores. Primeiro, Gonzalo Castro, depois Weigl, Aubameyang, Castro, que deixou para Guerreiro finalizar muito bem, cruzado, e marcar 3 a 1.

Guerreiro tem se mostrado versátil, ágil e criativo. Não seria uma novidade para nós, brasileiros, um lateral esquerdo se tornar um meio-campista. Zé Roberto já fez isso há 20 anos, atuando pela Portuguesa na vitoriosa campanha lusitana rumo à final do Campeonato Brasileiro de 1996. Outros tantos já fizeram o mesmo, como Serginho, ex-São Paulo e Milan. Guerreiro começa a ganhar um lugar no time. E não é na lateral esquerda, como se destacou.