Estados Unidos

[Vídeo] As semelhanças no estilo de jogo e na habilidade entre Messi e Stephen Curry

O Golden State Warriors estabeleceu um feito e tanto neste final de semana. A equipe da Califórnia igualou o recorde de vitórias na temporada regular da NBA – uma marca estabelecida em 1995/96, pelo Chicago Bulls de Michael Jordan e Scottie Pippen. Obviamente, o número histórico destaca o coletivo tão forte treinado por Steve Kerr. Mas não dá para negar o posto de Curry como o grande craque da companhia, até pela maneira como o time ajuda a explorar o potencial do armador. Há outros atletas na NBA mais completos do que o camisa 30. Ninguém, porém, que se aproxime dele na técnica dos arremessos. E que una isso a outras qualidades impressionantes, especialmente pelos dribles em progressão e pela criação de espaços nas defesas rivais.

VEJA TAMBÉM: As finais da NBA terão sua versão de Cristiano Ronaldo x Messi dentro de quadra

Nos últimos meses, as comparações entre Curry e Messi tornaram-se mais frequentes, tanto pela habilidade quanto pela maneira que se desvencilham dos adversários. Inspiração que o americano não nega. “Kerr nos mostra vídeos de alguns dos melhores do futebol, especialmente de Messi e do Barcelona. Vemos como eles jogam e o que fazem a cada partida, como marcam gols. Kerr traça várias semelhanças no jeito como atuamos, movimentamos a bola, acionamos os companheiros”, declarou o armador, às vésperas do último clássico, no final de março. “Messi e eu temos um estilo criativo de jogar. Eu tento fazer coisas boas com minhas mãos, ser criativo como Messi. Adoro vê-lo jogar, porque você nunca sabe o que ele fará com a bola. Amo o talento que Messi tem”.

Abaixo, um vídeo de dezembro, mas que vale a pena: uma comparação entre os estilos de jogo de Curry e Messi, feita pelo Buzzfeed Sports. A semelhança se evidencia especialmente pelo repertório dos craques. Uma maneira de homenagear os Warriors e Curry pela façanha deste domingo:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo